Publicidade


Vitória perde em São Januário, mas está na semifinal da Copa do Brasil

Assim como no clássico BaVi, a torcida do Vitória esteve com o coração na mão até o apito final no duelo contra o Vasco. Nesta quarta-feira (5), o Rubro-negro perdeu por 3 a 1, mas carimbou a vaga para a semifinal da Copa do Brasil. O Vasco precisava apenas de mais um gol para eliminar o time baiano. Magno, Ramon e Carlos Alberto marcaram para o Vasco. De pênalti, Viáfara descontou para o Vitória.

Na semifinal da Copa do Brasil, o Vitória vai encarar o Atlético-GO. A CBF ainda vai confirma mandos de campo, data e horário para as partidas.  Santos e Grêmio fazem a outra semifinal. No próximo sábado (7), o Rubro-negro vai encarar o Palmeiras, no Palestra Itália, na estreia do Brasileirão.

O Vasco partiu para o ataque a todo vapor. Afinal, precisava vencer por pelo menos 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis. Aos três minutos, o lateral Ramon recebeu bom passe pela esquerda, invadiu a área e chutou forte. A bola tirou tinta da trave de Viáfara.

Sob o comando do meia Phillipe Coutinho, o Vasco começou a sufocar a defesa do Leão, que só rifava. Aos nove, o zagueiro Reniê interceptou um passe de Elton para Coutinho, que ficaria cara a cara com o arqueiro colombiano.

Mas, aos 11 minutos, a zaga foi vítima do próprio erro. Magno avançou pela esquerda, venceu a marcação e cruzou. A bola desviou na defesa rubro-negra e enganou o goleiro Viáfara. Festa nas arquibancadas de São Januário.

Com a marcação ineficiente do lateral rubro-negro Marcos Pimentel, o Vasco apostava nas jogadas pela esquerda. Aos 15, Magno encontrou Elton, que deu um belo drible na marcação e chutou forte. A bola passou rente à trave e novo susto em Viáfara.

Porém, quando o Vasco se aproximava do segundo gol, Nilton derrubou Neto Berola na grande área aos 18 minutos. Cartão vermelho para o volante e Viáfara na cobrança para empatar a partida. O empate abateu os vascaínos, e os jogadores do Vitória aproveitaram para tocar a bola com mais tranquilidade. Aos 28 minutos, Vanderson arriscou de longe, mas Fernando Prass segurou firme.

Era tudo ou nada para o Vasco no segundo tempo. Precisando marcar mais três gols e não tomar nenhum para garantir a clássificação, os donos da casa tiveram sorte logo após o apito do árbitro. Aos três minutos, Phillipe Coutinho enfiou para Ramon, que invadiu a área e fuzilou. Viáfara nada pôde fazer. Por pouco o terceiro do Vasco não nasceu aos nove minutos. Elton passou para Coutinho, que bateu de primeira. A bola tirou tinta da trave.

O Vitória teve a chance de empatar novamente aos 12 minutos. Schwenck, que entrou no lugar de Neto Berola, recebe completamente livre na frente e deu um toque para tirar Fernando Prass. A bola, porém, saiu pela linha de fundo. Aos 13, o Vitória perdeu um jogador. Rafael Granja chegou duro em Souza e recebeu vermelho direto.

Aos 29, no entanto, Viáfara voou nas pernas de Elton dentro da área, após lindo passe de Phillipe Coutinho, e o árbitro marcou pênalti. O goleiro recebe cartão amarelo. Carlos Alberto foi para a cobrança e marcou o terceiro. Faltava apenas mais um.

Perto do fim do jogo, a ansiedade tomou conta do time e o Vasco partiu para o abafa. A expulsão do atacante Schwenck aos 43 minutos renovou as esperanças. Aos 48, no último lance da partida, o goleiro Fernando Prass foi tentar resolver na área adversária, mas o Vitória se segurou até o fim.

Vasco 3 x 1 Vitória – Quartas de final da Copa do Brasil
Data: 05/05/2010 – quarta-feira
Estádio: São Januário, Rio de Janeiro
Arbitragem: Evandro Rogério Roman (PR-Fifa), auxiliado por José Carlos Dias Passos (PR) e Bruno Boschilia (PR)

Vasco: Fernando Prass; Élder Granja (Paulinho), Thiago Martinelli, Dedé e Ramon; Nilton, Magno (Dodô), Souza e Philippe Coutinho; Carlos Alberto (Robinho) e Elton. Técnico: Gaúcho

Vitória: Viáfara; Marcos Pimentel, Wallace, Reniê e Egídio (Rafael Granja); Vanderson, Uelliton, Neto Coruja e Bida; Júnior (Vilson) e Neto Berola (Schwenck). Técnico: Ricardo Silva

Fonte: Ibahia.com