Tarde sem sal!

Após golear a Dinamarca e os Estados Unidos, a Seleção Brasileira enfrentou neste domingo (3), em Dallas, nos Estados Unidos, um adversário mais qualificado. O México fez o necessário, aproveitou falhas individuais do Brasil e interrompeu a sequência de goleadas do time de Mano Menezes ao vencer por 2 a 0, com gol de Giovani dos Santos. Agora a equipe verde e amarela terá um jogo ainda mais difícil. No próximo sábado (9), enfrentará a rival Argentina, em Nova Jersey, também nos EUA.

Foto: Getty Images

 

Um teste mais difícil
Enfrentando um adversário mais complicado do que Dinamarca e Estados Unidos, a Seleção Brasileira começou a partida pressionando a saída de bola do México e explorando a velocidade do setor ofensivo. No entanto, o adversário também adiantava a marcação e fechava as laterais do campo para impedir os avanços dos brasileiros. Com isso, os 15 primeiros de jogo foram de muito equilíbrio.

O Brasil matinha maior posse de bola e o México, quando conseguia desarmar ou aproveitava um erro da Seleção, partia para velocidade tentando encaixar o contra-ataque. O mesmo fazia o time de Mano Menezes. E foi em um erro de saída de bola dos mexicanos que Hulk fez boa jogada até cair dentro da área, aos 19 minutos, e pedir pênalti.

México na frente
Entretanto, dois minutos depois, também no contra-ataque, Giovani dos Santos invade a área pelo lado esquerdo e cruza. A bola encobre Rafael e vai direto para o gol. Após abertura do placar, o Brasil caiu de rendimento, sem conseguir invadir a área dos adversários.

O México soube aproveitar erros pontuais da Seleção e, após passe errado de Rômulo, Juan fez uma falta em Giovani dos Santos dentro da área. Na cobrança do pênalti, aos 32 minutos, Chicharito Hernández amplia o placar. No final do primeiro tempo, o Brasil teve a chance de diminuir com Oscar. O meia do Inter arriscou de fora da área e obrigou Corona a fazer boa defesa.

Mexicanos voltam melhor e Brasil fica perdido em campo
O segundo tempo não começou muito diferente do primeiro. Mesmo com dois gols de vantagem, o México continuava utilizando a velocidade para dar perigo a Rafael. Aos seis minutos, os mexicanos quase chegam ao terceiro gol com Chicharito. Um minuto depois, Oscar tenta responder para os brasileiros. O meia invadiu a área, passou pelo arqueiro Corona e caiu pedindo pênalti. No entanto, o árbitro marcou apenas tiro de meta.

Precisando fazer gol, Mano tirou Sandro e coloca Lucas no time, deixando o time mais ofensivo e trocou Leandro Damião por Alexandre Pato. Porém, o time de Mano Menezes esbarrava na forte marcação dos mexicanos e nos próprios erros de passe. Com a vantagem, o México se fechou e passou a esperar uma oportunidade de contra-ataque.

De tanto pressionar, o Brasil conseguiu uma boa chance após cobrança de falta de Neymar. O santista cruzou, Bruno Uvini cabeceou e, na sobra, Juan enche o pé e obriga a Corona a fazer boa defesa. Em seguida, mais um contra-ataque mexicano. Chicharito saiu na cara do gol, após tabela com De Nigris, e Rafael salvou a seleção. Perdida em campo no final da partida, a Seleção não conseguia chegar com efetividade no campo adversário e teve que ouvir os gritos de “Olé” da torcida mexicana presente no Cowboys Stadium.
FICHA TÉCNICA:
MÉXICO 2 x 0 BRASIL
Local: Cowboys Stadium, Dallas (EUA)
Data/hora: 3/6/2012 – 16h06 (de Brasília)
Árbitro: Silvio Petrescu (CAN)
Cartões amarelos: Marcelo, Neymar (BRA); Salcido, Meza (MEX)
Cartão vermelho: Não houve
Gols: Dos Santos, 21’/1T (1-0); Chicharito, 31’/1T (2-0)

MÉXICO: Corona, Severo, Meza (Jiménez), Moreno e Salcido; Nilo, Zavalo, Barrera (Andrade) e Guardado (Reyna); Giovani dos Santos (De Nigris) e Chicharito (Lugo) Técnico: José Manuel de la Torre.

BRASIL: Rafael Cabral, Danilo, Thiago Silva (Bruno Uvini), Juan e Marcelo; Sandro (Lucas), Rômulo e Oscar (Casemiro); Hulk (Wellington Nem), Neymar e Leandro Damião (Pato). Técnico: Mano Menezes.

Fonte: Bahia Notícias