Soltou o verbo!

O atacante do Vitória, Neto Baiano, em conversa com a imprensa nesta quinta-feira (31) voltou a reclamar da falta de reconhecimento da diretoria rubro-negra em relação a seu futebol. Isso porque, segundo ele, se os dirigentes não quiserem renovar seu contrato, que termina ao final deste ano, agora, no futuro poderão ficar sem seu futebol.

Foto: Agência Haack

 

– O Queiroz disse isso (sobre negociações somente em dezembro) e eu respeito ele também, mas quem tem que decidir isso é o meu empresário e o presidente (Alexi Portela). Se o presidente não quiser renovar comigo, paciência, eu tenho que trabalhar. Tenho que cumprir meu dever aqui, que é até dezembro. Depois de dezembro eu não sei. Se ele quiser renovar só em dezembro, não sei se vou querer renovar também… tem tudo isso. É uma faca de dois gumes – adiantou.

De acordo com o centroavante, a promessa de uma renovação aconteceu no ano passado.

– Há um tempo atrás, no começo do Campeonato Baiano do ano passado, comecei bem e aí aconteceram algumas coisas e eu acabei indo para o banco (de reservas). O diretor era o Beto Silveira, se eu não me engano, e o meu contrato acabava no meio ou no final do ano, então me chamaram e disseram: ‘Neto, você vai ficar aqui por cinco jogos da Série B, para ver se você fica, ou não (no time). Fazer um teste’. Depois de tudo que eu fiz no Vitória, fazer teste é brincadeira, né? Aí eu joguei, acabei fazendo gol no primeiro jogo e eles me chamaram para renovar. Eu era um dos jogadores que mais ganhava no Vitória. Hoje, tem uns dez na minha frente, que ganham muito mais do que eu. Eu aceitei fazer um ano e meio de contrato sem luvas e com o salário lá em baixo. Hoje eu acho que mereço um aumento. Não estou pedindo para o Vitória aumentar o meu salário ou renovar o meu contrato, mas eu tenho 29 anos e preciso definir a minha vida. Isso é notório. Jogador de futebol tem carreira curta.

Fonte: Bahia Notícias