Seleção de Mano Menezes perde mais uma

Jogadores em ritmo de férias, um meio-campo repleto de marcadores e um ataque com problemas de pontaria. Com todos esses fatores, a seleção brasileira seguiu sem conquistar um grande resultado e, nesta quarta-feira, perdeu por 3 a 2 para a Alemanha, no estádio Mercedes-Benz Arena, em Stuttgart. O resultado aumentou o jejum de Mano Menezes contra grandes adversários do futebol mundial e também colocou mais pressão no trabalho do treinador.

Há um ano no posto de comandante da seleção brasileira, Mano Menezes ainda não conseguiu nenhuma vitória em clássicos. Depois de perder para Argentina e França por 1 a 0, o treinador viu sua equipe empatar por 0 a 0 com a Holanda, no primeiro semestre, e agora mais um revés contra um adversário de renome.

O jejum pode ser explicado pelo fato de o Brasil ter ido a campo preocupado muito mais em se proteger do que, propriamente, dar trabalho ao adversário. Mano Menezes barrou Paulo Henrique Ganso e colocou Fernandinho para ajudar na marcação, ao lado de Ralf e Ramires. Com isso, Robinho acabou responsável pela criação das jogadas, enquanto Alexandre Pato e Neymar, que quase ficou fora por problemas de saúde, tiveram a missão de marcar os gols.

O esquema, no papel defensivo, serviu para suportar a pressão inicial da Alemanha. Os donos da casa tiveram maior volume de bola durante boa parte do primeiro tempo. Aos poucos, no entanto, o Brasil conseguiu equilibrar as ações, mas ainda assim quase não levou perigo ao goleiro Neuer.

Logo no primeiro lance do segundo tempo, Alexandre Pato deu mais uma prova da falta de pontaria, ao tentar encobrir o goleiro alemão e marcar um golaço, mas mandando a bola para fora. A Alemanha, que trocou os dois atacantes no intervalo, passou a ter mais dificuldades para se livrar da marcação, mesmo assim Julio César teve trabalho em alguns lances isolados.

E, mesmo com o jogo equilibrado, a Alemanha conseguiu criar boa jogada ofensiva que terminou em um pênalti cometido por Lúcio sobre Schurrle e convertido com precisão por Schweinsteiger. Grande revelação do futebol alemão, Gotze ainda conseguiu ampliar, após driblar Julio César.

Pouco depois, no entanto, o árbitro húngaro marcou um pênalti para o Brasil. Apesar do fantasma das quatro cobranças erradas na eliminação da Copa América, Robinho teve tranquilidade para chutar no canto direito de Neuer e descontar. Apesar disso, André Santos, um dos jogadores que voltou das férias no início desta semana, mostrou falta de ritmo e falhou, deixando Schurrle marcar o terceiro. Nos acréscimos, Neymar descontou, mas não evitou mais uma derrota da seleção, a primeira em 18 anos para os alemães.

O Brasil volta a campo no início de setembro, em mais uma data que a Fifa reserva para amistosos. A CBF ainda não definiu os adversários ou locais das partidas. No mesmo mês, no entanto, um time formado por atletas que atuam no país jogarão a Copa Roca, contra a Argentina, com o primeiro jogo em solo argentino e o segundo em Belém, no Pará.

ALEMANHA 3 X 2 BRASIL

Alemanha
Neuer; Trasch, Hummels, Badstuber e Lahm; Schweinsteiger (Rolfes), Kroos, Müller e Gotze; Podolski (Schurrle) e Mario Gómez (Klose)
Técnico: Joachim Low

Brasil
Julio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos (Luis Gustavo); Ralf, Ramires e Fernandinho (Paulo Henrique Ganso); Robinho (Renato Augusto), Alexandre Pato (Fred) e Neymar
Técnico: Mano Menezes

Data: 10/08/2011 (quarta-feira)
Local: Mercedes Benz Arena, em Stuttgart (Alemanha)
Arbitragem: Viktor Kassai (Hungria)
Cartão amarelo: Paulo Henrique Ganso (BRA)
Gols: Schweinsteiger, aos 15min, Gotze, aos 21min, Robinho, aos 26min, e Schurrle, aos 34min, e Neymar, aos 47min do segundo tempo

fonte: uol.com.br