Santos x Peñarol-URU – O jogo da consagração

O palco está armado, mas ainda falta saber qual time irá chegar ao topo para coroar o título da Copa Santander Libertadores da América de 2011. Santos e Peñarol-URU fazem nesta quarta-feira, às 21h50, o jogo de volta da decisão, que acontece no Estádio do Pacaembu, em São Paulo. O jogo pode consagrar a “Era Neymar”, já que o Peixe não comemora a conquista da competição continental desde 1963, portanto, há 48 anos.

O Santos quer a taça pela terceira vez (além de 1963, também foi campeão em 1962), enquanto que o time uruguaio tenta a conquista pela sexta vez ( foi campeão em 1960, 1961, 1966, 1982 e 1987). Em 1962, Santos e Peñarol estiveram em campo na decisão da Santander Libertadores daquele ano. No primeiro jogo, o Santos venceu, por 2 a 1, enquanto que o Peãnarol foi o vencedor no jogo da volta, por 3 a 2. Assim, o jogo desempate foi disputado em Buenos Aires, e o Peixe fez 3 a 0.

No primeiro jogo da final de 2011, a festa foi toda da torcida “Carbonera”, mas o Santos soube controlar a pressão e arrancou o empate, por 0 a 0, no Estádio Centenário, em Montevidéu. Assim, um novo empate – por qualquer placar – leva a decisão da taça para a prorrogação de 30 minutos. Se a igualdade persistir, a disputa irá ser encerrada na cobrança de pênaltis. Além do título continental, o campeão conquista o direito de representar a América do Sul na disputa do Mundial da Fifa, no Japão.

Transmissão show!
A final da Santander Libertadores entre Peñarol e Santos, no Pacaembu, em São Paulo, será transmitida pela Rádio Futebol Interior. A partida terá narração do “gogó de ouro” Luciano Luiz, além de comentários de Geraldo Nery, Fernando Marinheiro e Fabio Salomão, e reportagens de Marco Aurélio e Thiago Cioffi. Para ouvir a Rádio FI basta clicar aqui!

O retorno do “maestro”!
O meia Paulo Henrique Ganso está escalado para ajudar o Santos a chegar ao tricampeonato. De acordo com o técnico Muricy Ramalho, o jogador só não vai para a partida se algum fato novo surgir até a hora do jogo. “Ganso está treinando bem e não sentiu nada, que é o que mais preocupava. Pode faltar ritmo de jogo e a condição física não é ideal. Mas, se não acontecer nada, deve jogar”, revelou o treinador, em entrevista coletiva.

Ganso e Léo, ambos recuperados de lesão, participaram normalmente do treinamento desta tarde. Mas Pará e Alex Sandro, que devem deixar o time para a entrada dos dois, também foram ‘titulares’ da equipe montada por Muricy Ramalho com 12 jogadores de linha. Jonathan só correu em volta do campo e não deve mesmo enfrentar o Peñarol.

A tendência é que Danilo seja deslocado para a lateral-direita e Elano recuado para a entrada de Ganso na armação da equipe. Adriano, que teoricamente é reserva, seria o substituto de Jonathan no time titular. Apesar de o técnico do Peñarol, Diego Aguirre, ter jogado para o Santos a posição de favorito ao título, Muricy Ramalho evitou assumir esta responsabilidade. “É um jogo complicado, difícil para o dois. Falar em favoritismo em Libertadores é complicado”, garantiu.

Ainda em dúvida!
O Peñarol não esconde a confiança no título, mas traz na bagagem uma dúvida: o atacante Olivera, que sofreu uma lesão no ombro na partida de ida da final. “Estou trabalhando com os meus companheiros. Estou me preparando para chegar à melhor forma física e recuperar meu futebol, porque não quero perder por nada esta final”, declarou o jogador, que vem formando a dupla de ataque com Martinuccio.

Caso não tenha condição de jogo, Olivera deve ser substituído pelo veterano Diego Alonso, de 36 anos, que já entrou em seu lugar na primeira partida. Com ou sem o desfalque, o técnico Diego Aguirre confia que o peso da camisa e a história da equipe uruguaia possa fazer diferença.

“Não sei explicar, mas o que o Peñarol tem é o que os demais não entendem. É nisso que acredito, que sinto. Será muito difícil a partida, o Santos joga em casa, tem uma grande equipe. Isso sabemos, mas, por outro lado, não acho que haja uma pessoa sequer no Uruguai que diga que não temos chance, que não possamos sair campeões”, afirmou o treinador.

Local
Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP

Árbitro
Sergio Pezzotta-ARG

Assistentes
Ricardo Casas-ARG e Hernan Midana-ARG

Santos

Rafael;
Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo;
Adriano, Arouca, Elano e Ganso;
Neymar e Zé Eduardo.

Técnico: Muricy Ramalho

Peñarol

Sosa;
González, Valdez, Guillermo Rodríguez e Darío Rodríguez;
Corujo, Luis Aguiar, Freitas e Mier;
Martinuccio e Olivera (Alonso).

Técnico: Diego Aguirre