Renê suspenso

O goleiro Renê, um dos principais líderes do time, foi suspenso preventivamente por uso de substância proibida. Renê foi pego no exame antidoping na partida contra a Portuguesa, pela 17ª rodada da Série B. Na urina do jogador, foi detectada a substância diurética Furosemida, normalmente encontrada em remédios para controle de pressão.

Francisco Galvão/Portal Futebol Baiano
(Francisco Galvão/Portal Futebol Baiano)
Goleiro usou substância proibida

Por telefone, o vice-presidente médico do Bahia, Marcos Lopes, explicou a situação. “Conversamos com o Renê antes da partida contra a Ponte Preta, e a princípio ele nos disse que não havia tomado nenhuma substância proibida. Porém, insistimos para ele se recordar, e ele lembrou que tomava remédios para controle de pressão há muitos anos”, esclareceu o médico, que lamentou o fato. “Em nosso departamento não existe nenhum remédio com essa substância. Foi um erro do jogador e ele teria que nos informar que tomava remédios em casa”.

No entanto, Marcos Lopes reforçou que o clube estará ao lado do goleiro. “Ele ficou muito abalado. A esposa dele está se sentindo muito culpada, pois foi ela quem indicou o remédio. O grupo sentiu muito a situação e irá homenageá-lo nas próximas partidas. Ele continua conosco até o fim”, explicou.

O médico tricolor mantém esperanças de que o goleiro tenha sua pena reduzida. “Essa substância não dá ganho físico ao atleta. E também estamos tranquilos por não ser substância ilícita como maconha ou cocaína. Já ocorreram casos parecidos e as punições não foram tão severas”.

A diretoria do Bahia, através de nota oficial, reforçou o apoio à Renê. “Sua defesa está sendo preparada, confiante em que o jogador terá sua pena reduzida, por se tratar de um grande atleta, excelente profissional e que não agiu de má fé para se beneficiar com esta medicação”.