Real é campeão da Copa do Rei em cima do Barcelona

No segundo dos quatro clássicos consecutivos que Barcelona e Real Madrid disputarão em pouco menos de três semanas, o time merengue finalmente levou a melhor, e, com um gol de Cristiano Ronaldo no primeiro tempo da prorrogação, saiu de campo com a vitória por 1 a 0 e a taça da Copa do Rei nas mãos, a 18ª da história do clube da capital espanhola.

Com um título em jogo, Barcelona e Real Madrid fizeram um jogo muito mais movimentado que a partida do último sábado, válida pelo returno do Campeonato Espanhol. Apesar de Mourinho ter sacado os centroavantes merengues e ter colocado o Real em campo sem um homem de referência no ataque, o primeiro tempo foi todo do Real Madrid.

Messi e Iniesta foram anulados pela marcação, que, novamente, contou com um Pepe inspirado no meio de campo. Desta vez, no entanto, o luso-brasileiro recebeu cartão por falta em Pedro, e teve de se segurar para não ser expulso de campo. Sem um atacante fixo, Özil, de volta à equipe titular, foi o melhor jogador em campo na primeira etapa. Dos pés do alemão saíram as jogadas mais perigosas, com Cristiano Ronaldo recebendo à frente e finalizando.

Foram três oportunidades perigosas de gol para o Real nos 45 minutos iniciais. Na primeira delas, Cristiano Ronaldo errou na finalização. Na segunda, o português acertou no chute, mas parou nas mãos do goleiro Pinto, que foi titular em todos os jogos do Barça na Copa do Rei, inclusive na final. Na terceira, quase no fim do primeiro tempo, Özil cruzou para o português Pepe subir mais alto que Daniel Alves, mas a bola bateu na trave.

REAL CANSA E BARCELONA DOMINA SEGUNDA ETAPA

No segundo tempo, no entanto, o jogo foi outro. Depois da forte marcação no primeiro tempo, o Real demonstrou sinais de cansaço na etapa final. O Barça passou a tocar melhor a bola, principalmente com Messi e Iniesta, que nada fizeram nos primeiros 45 minutos.

Com tabelas de Messi com Daniel Alves, pela direita, e com Pedro na esquerda, o Barça começou a ameaçar o Real, e colocou Casillas para trabalhar. Aos 23 minutos, o argentino deixou Pedro de cara para o gol, e o jovem atacante não desperdiçou, mas o árbitro assinalou impedimento.

Logo depois, Mourinho sacou Özil, o melhor jogador merengue em campo, para a entrada de Adebayor. O Real perdeu em ofensividade e passou a ser pressionado pelo Barcelona.

Messi finalmente desencantou e começou a entortar a defesa do Real Madrid. Com Iniesta também desperto, após o cochilo na primeira etapa, só deu Barcelona no segundo tempo. Aos 35 minutos, os dois foram responsáveis pela melhor jogada do time catalão na partida. Depois de uma tabela sensacional, Iniesta chutou cruzado, e Casillas salvou com a ponta dos dedos.

Os minutos finais do tempo regulamentar foram eletrizantes, mas, apesar das boas joagadas de Messi e Cristiano Ronaldo, o tempo regulamentar terminou 0 a 0: prorrogação no Estádio Mestalla.

O Barça voltou para o jogo para o tempo extra do mesmo jeito que terminou a segunda etapa: pressionando o Real. Messi fez boa jogada pela esquerda, mas acabou sendo desarmado pela zaga. A resposta do time madrilenho foi imediata. Xabi Alonso deu um passe perfeito para Cristiano Ronaldo, que arrancou e chutou forte, tirando tinta da trave do Barça.

Aos 12 minutos, o Real Madrid finalmente abriu o placar da decisão. Marcelo fez excelente jogada no meio de campo e tocou para Di María cruzar da esquerda na cabeça de Cristiano Ronaldo. Mal marcado por Adriano, o português cabeceou certeiro para abrir o placar e levar à loucura a torcida merengue em Valência.

Nos 15 minutos finais, a posse de bola foi toda do Barcelona. Em vantagem, o Real se fechou no campo de defesa, e se limitou a fechar a marcação no time adversário. O Barça tentou, mas não encontrou espaço para finalizar, e teve de ver o rival levantar a taça em Valência.

FICHA TÉCNICA:
BARCELONA 0 X 1 REAL MADRID

Estádio: Mestalla, Valência (ESP)
Data/hora: 20/4/2011 – 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (ESP)

Cartões amarelos: Pepe, Xabi Alonso, Adebayor, Di María (REA); Pedro, Messi, Adriano (BAR)
Cartão vermelho: Di María, 15’/2°P (REA)
GOLS: Cristiano Ronaldo, 12’/1ºP (0-1)

BARCELONA: Pinto, Daniel Alves, Mascherano, Piqué e Adriano; Xavi, Busquets (Keita, 3’/2ºP) e Iniesta; Villa (Afellay, intervalo da prorrogação), Messi e Pedro. Técnico: Pep Guardiola.

REAL MADRID: Casillas, Arbeloa, Sergio Ramos, Ricardo Carvalho (Garay, 13’/2°P) e Marcelo; Khedira (Granero, 13’/1°P), Pepe e Xabi Alonso; Cristiano Ronaldo, Özil (Adebayor, 24’/2ºT) e Di María. Técnico: José Mourinho.

fonte: lancenet