José Ataide


Publicidade


Prefeitura de Paris anuncia boicote a Copa do Mundo e se junta a cinco cidades francesas

A prefeitura de Paris anunciou, nesta segunda-feira (3), um boicote à Copa do Mundo. Seguindo decisões das cidades de Lille, Estrasburgo, Reims, Bordeaux e Marselha, a capital da França revelou que, em protesto contra o Catar, país sede do Mundial, não irá disponibilizar telões na cidade para as transmissões dos jogos.

O motivo, de acordo com o secretário de Esportes de Paris, Pierre Rabadan, são as “condições da organização deste Mundial, tanto na vertente ambiental como social”.

O argumento foi semelhante ao do prefeito de Bordeaux, Pierre Hurmic. “Comprometidos com os valores do compartilhamento, da solidariedade no esporte e da construção de um lugar mais sustentável, não podemos contribuir para a promoção da Copa do Mundo de 2022 no Catar, que se tornou um desastre humano e ambiental”, disse.

A ONG Anistia Internacional vem revelado abusos trabalhistas durante a construção dos estádios para a Copa do Mundo no Catar. Os relatórios demonstram que trabalhadores imigrantes ficaram meses sem receber salários, são proibidos de trocar de emprego e não podem formar sindicatos para lutar coletivamente por direitos.

Além disso, de acordo com o ge.globo, há a suspeita sobre mortes de trabalhadores parentemente saudáveis sem investigação apropriada ou compensação para as famílias, de acordo com levantamento do jornal Guaridan. Mais de 6 mil pessoas teriam ido a óbito desde 2010, desde a escolha do Catar.