Publicidade


Pé direito

A ‘estreia’ não poderia ser melhor para o time da casa. No primeiro jogo como mandante no Campeonato Brasileiro da Série B, o Vitória fez muito bem o papel de casa e goleou o Ipatinga, na tarde deste sábado (2), no Barradão, por 4 a 0. Mais um triunfo para conta do Estádio Manoel Barradas. Com o resultado positivo, o rubro-negro ampliou a invencibilidade dentro de casa para dezoito partidas. São doze vitórias e seis empates. Mais uma vez no Barradão, o Leão volta jogar na próxima terça-feira (5), contra o América-RN, às 21h.

Foto: Max Haack / Bahia Notícias

 

Início quente e com dois gols do Vitória
Eduardo Ramos dominou do lado esquerdo, olhou para grande área e cruzou. Marquinhos antecipou ao lateral Chiquinho e tocou para o gol. Vitória 1 a 0. Não demorou muito e rubro-negro quase amplia. Eduardo Ramos começou o lance na intermediária e tocou para Marquinhos, na direita. O atacante rolou para Neto Baiano, mas, antes do centroavante, o zagueiro Gasparetto deu carrinho e mandou a bola para escanteio. Intervenção decisiva para evitar o gol do camisa 9. Início melhor, impossível. O zagueiro Azevedo saiu jogando errado e deixou a bola para Tartá. O meia disparou pelo meio, em velocidade, invadiu a área e tocou rasteiro, sem chances para Bruno. Vitória 2 a 0. Foram dois gols em menos de dez minutos. O suficiente para tirar do sério o treinador do Ipatinga, Ney da Matta. Não é à toa que o técnico fez a primeira mudança aos 11 minutos. Saiu o zagueiro Azevedo, que errou nos dois gols, e entrou o volante Vinicius Kiss.
O time mineiro só chegou ao ataque aos 13. Ruy tabelou com Tiago Pereira, mas na hora da finalização deixou a bola correr demais e se chocou com o goleiro Douglas. O lance não intimidou o rubro-negro. Aos 16, Mansur recebeu sem marcação, do lado esquerdo, e tocou para o meio da área. Neto Baiano finalizou bonito, de letra, mas a bola saiu lentamente pela linha de fundo.

Vitória cai de produção
Depois do início eletrizante, o Vitória tirou o pé do acelerador e o ritmo da partida caiu bruscamente. O Ipatinga, que começou a tomar conta do jogo, não conseguiu fazer a posse de bola se transformar em boas chances. Aos 36, o lateral-esquerdo Chiquinho apareceu como homem surpresa, atrás dos zagueiros, e tocou para o meio. O atacante Márcio Diogo, dentro da pequena área, cabeceou para o gol, mas a bola pegou na própria mão direita e passou muito perto da trave. Melhor chance do Ipatinga na primeira etapa. O Leão só acordou aos 39. Mansur cruzou para grande área e o zagueiro Gasparetto falhou feio. Furou e deixou a bola passar para Marquinhos, de cabeça, exigir boa defesa de Bruno.

Ipatinga volta melhor, mas é o Vitória que amplia
O segundo tempo começou movimentado. Com menos de um minuto, o lateral-esquerdo Chiquinho cruzou rasteiro na medida para Djavan, que havia acabado de entrar. No entanto, Victor Ramos apareceu na hora certa e mandou para escanteio. A resposta do time baiano foi logo na sequência, com duas finalizações de Marquinhos. Se Marquinhos tentou e não conseguiu, Neto Baiano tratou de mostrar como é que se faz. Após belo toque de Eduardo Ramos, por cima do zagueiro Gasparetto, o camisa 9 bateu forte, no ângulo direito de Bruno. Goleada no Barradão: Vitória 3 a 0. Neto Baiano demonstrou não estar nada satisfeito com o comportamento de poucos torcedores e não comemorou, sendo apenas abraçado pelos companheiros. Quem também demonstrou estar precisando de aulas de como fazer gols foi o atacante Tiago Pereira, do Ipatinga. De novo pelo lado esquerdo, aos 6, Chiquinho cruzou para grande área. Djavan atrapalhou e o goleiro Douglas deu rebote. Tiago chutou em cima do zagueiro Rodrigo, mas a bola voltou para ele. O camisa 9 encheu o pé, todo sem jeito, e acertou a rede pelo lado de fora. O lateral-direito Ruy, que chegava no lance, reclamou do companheiro e dois ficaram batendo boca por alguns segundos.

Vitória no contra-ataque
O Ipatinga voltou ao ataque aos 12. O cruzamento feito por Djavan atravessou toda grande e chegou em Chiquinho. O lateral encheu o pé, mas a bola subiu demais. A busca desesperada pelo gol deixou o time mineiro mais exposto aos contra-ataques do Vitória. Não deu outra. Aos 19, Marquinhos tabelou com Eduardo Ramos e cruzou para área. O zagueiro Rodrigo se atrapalhou sozinho e deixou a bola escapar. Um minuto depois, Mansur bateu forte e o chute pegou em cheio no zagueiro Gasparetto. Eduardo Ramos cansou e pediu para sair. Entrou Geovanni. O meia, no seu primeiro lance, aos 26, bateu falta com categoria e levou muito perigo ao goleiro Bruno. O Vitória, apesar da vantagem, não quis saber de brincadeira. Aos 35, o meia Tartá viu Dinei, sem marcação, e tocou. O atacante bateu rasteiro e selou à goleada do rubro-negro no Barradão.

SÉRIE B
Vitória x Ipatinga
Local: Estádio Manoel Barradas, em Salvador (BA).
Data: Sábado, 2 de junho.
Árbitro: Ítalo Medeiros de Azevedo (CBF/RN).
Assistentes: Luiz Carlos Camara Bezerra (CBF/RN) e Lorival Candido das Flores (CBF/RN).
Público: 7.300
Gols: Marquinhos, Neto Baiano, Dinei e Tartá (Vitória)

Vitória: Douglas; Gabriel Paulista, Victor Ramos, Rodrigo e Mansur; Michel (Ananias), Rodrigo Mancha, Eduardo Ramos (Geovanni) e Tartá; Marquinhos e Neto Baiano (Dinei). Técnico: Paulo César Carpegiani.
Ipatinga: Bruno; Ruy (João Neto), Gasparetto, Azevedo (Vinicius Kiss) e Chiquinho; Leanderson, Leandro Brasília, Pedrão e Wellington Bruno; Márcio Diogo *Djavan) e Tiago Pereira. Técnico: Ney da Matta.

Fonte: Bahia Notícias