Para fugir do Z4

Nada de esquema com três volantes: para o duelo deste sábado, 11, contra o Cruzeiro, em Pituaçu, o técnico Caio Júnior deverá mandar a campo um Bahia mais ofensivo do que tem costumado escalar nos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro.Se mantiver no jogo o que esboçou no treinamento da última sexta-feira, 10, o treinador do Esquadrão deverá lançar mão de um esquema com dois volantes e dois meias: enquanto Fahel e Fabinho se encarregarão de marcar, Zé Roberto e Mancini deverão dar a tônica das jogadas ofensivas da equipe. No ataque, por opção técnica, Caio Júnior trocou Júnior pela jovem promessa Rafael “Gladiador”, que jogará pela primeira vez ao lado de Gabriel.

A esperada mudança no esquema foi provocada pela necessidade imperativa que o tricolor tem de voltar a triunfar: então com apenas 13 pontos ganhos, ocupa a 18ª posição na tabela de classificação e precisa se afastar desde já da temida zona de rebaixamento.
Em posição intermediária na tabela de classificação, a Raposa, em 8º com 23 pontos, chega a Salvador com o objetivo de se aproximar do grupo dos quatro times que se classificam à Taça Libertadores da América. Insatisfeito com a derrota sofrida para o Santos na rodada anterior, o técnico da equipe, Celso Roth, ameaça promover mudanças em quase metade do time.

A 16ª rodada tem ainda os duelos Santos x Atlético-GO, Sport x Figueirense, Flamengo x Náutico, São Paulo x Grêmio, Internacional x Ponte Preta, Atlético-MG x Vasco, Coritiba x Corinthians, Fluminense x Palmeiras e Portuguesa x Botafogo.

Bahia – Em seu sexto jogo no comando técnico do Bahia, Caio Júnior terá novamente que administrar algums problemas na escalação: suspenso, o atacante Souza segue fora; lesionados, os meias Kléberson e Jéfferson e os laterais Coelho, Madson e Ávine também não jogam.

A boa notícia para o treinador tricolor é a possibilidade de poder escalar os meias Gabriel e Mancini, o que, por conseguinte, deverá fazer com que modifique o desenho tático da sua equipe, que poderá começar o jogo com dois volantes e dois meias.
No entanto, Caio ainda terá que conviver com a ausência de laterais de origem: com Ávine novamente entregue ao departamento médico, o treinador terá que improvisar mais uma vez. Enquanto Diones deverá ser mantido na ala direita, Hélder deverá ocupar o lado esquerdo do campo.

Souza, que cumpre o último dos quatro jogos de punição, segue fora do time. Como o centroavante Júnior não tem apresentado um bom desempenho, Rafael “Gladiador” ganhará uma oportunidade com o treinador na linha de frente. O Esquadrão joga para quebrar um tabu de não vencer em Pituaçu há 55 dias.

Cruzeiro – Embora não tenha desfalques para enfrentar o Bahia em Pituaçu, Celso Roth parece decidido a mexer no time que iniciou a partida que terminou em derrota por 4 a 2 para o Santos na última quarta-feira, 8, na Vila Belmiro.Segundo pistas de Roth, Thiago Carvalho poderá entrar no lugar de Victorino; Marcelo Oliveira na vaga de Diego Renan; Charles, na de Sandro Silva; Lucas Silva no lugar de Tinga; e Wellington Paulista entraria no ataque, na posição de Wallyson.

Nas atividades desta sexta-feira, 10, já em Salvador, o comandante cruzeirense despistou e promoveu apenas um treino recreativo e, antes de encerrar os trabalhos com uma longa conversa, exigiu dos seus comandados em jogadas de bolas paradas. Com uma campanha mediana no Brasileirão, o Cruzeiro venceu sete partidas, empatou duas e perdeu seis. Um aproveitamento de 51,1%.

Bahia x Cruzeiro – 16ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Local: Estádio Metropolitano de Pituaçu, em Salvador (BA).
Data: Sábado, 11 de agosto.
Horário: 18h30.
Árbitro: Wilton Peireira Sampaio (Asp. Fifa/GO).
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (Fifa/RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (Fifa/RJ).

Bahia: Marcelo Lomba; Diones, Danny Morais, Titi e Hélder; Fahel, Fabinho, Mancini e Zé Roberto; Gabriel e Rafael. Técnico: Caio Júnior.
Cruzeiro: Fábio; Ceará, Léo, Thiago Carvalho e Marcelo Oliveira; Leandro Guerreiro, Charles, Lucas Silva e Montillo; Wellington Paulista e Borges. Técnico: Celso Roth.

Fonte: A Tarde