Palmeiras 1 x 2 Goiás – Goías na final da Sul-Americana

A festa estava armada, os palmeirenses confiantes na classificação, o Estádio lotado, mas todo mundo esqueceu de avisar o Goiás. Numa virada histórica, os goianos venceram o Palmeiras, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira e chegou a final da Copa Sul-Americana e fica vivo na briga por uma vaga na Taça Libertadores da América de 2011.

Como no primeiro jogo o Palmeiras venceu por 1 a 0, um empate garantia o Verdão na próxima fase. Após fazer o gol ainda no primeiro tempo, o Goiás empatou a partinda no final da etapa inicial e no segundo tempo, aos 37 minutos, com o zagueiro Ernando fez o gol que garantiu o time na final.

Rebaixado no Brasileirão, o Goiás jogou suas esperanças na Copa Sul-Americana e nesta quarta-feira fez algo histórico. O Palmeiras dá adeus a temporada de 2010 e joga suas duas últimas partidas no Brasileirão nos próximos finais de semana.

Nesta quinta-feira, será definido quem será o outro finalista. A LDU-ECU venceu o Independiente-ARG, por 3 a 2 e joga por um empate para chegar na final. Mas, o jogo será disputado na Argentina. Por sorteio feito antes da competição, o primeiro jogo da final será em Goiânia e a decisão fora de casa.

Bem movimemtado!
O Goiás tentou começar o jogo pressionando o Palmeiras, mas com pouca qualidade técnica, o time pouco chegou no início. Melhor para o Verdão, que tinha a vantagem de jogar pelo empate e mostrava mais empenho para chegar ao primeiro gol e aumentar a vantagem. O time tocava bastante a bola no seu campo.

A primeira boa chance de gol foi do Palmeiras. Aos seis minutos, Danilo arrancou do meio campo e perto da área soltou um petardo. A bola saiu tirando tinta da trave, Harlei ficou olhando a bola sair. Em mais um chute de fora da área, o Verdão quase fez o primeiro. Desta vez, Tinga arriscou e a bola explodiu no poste esquerdo do goleiro.

As únicas vezes que o Goiás chegava era nos chutes de fora da área e quando conseguia cruzar a bola na cabeça de Rafael Moura. Mas, aos 33 minutos, o Palmeiras fez o seu gol. Edinho deu um belo lançamento para Luan, que na saida de Harlei bateu cruzado, sem chance nenhuma para arqueiro que foi buscar a bola no fundo das redes.

O Goiás parecia estar entregue, pouco chegava e não levava muito perigo, mas a sua melhor jogada era a bola alçada na área e foi assim que empatou o jogo no último minuto do primeiro tempo. Marcelo Costa cobrou uma falta no travessão, a bola ficou com os goianos, que alçaram a bola na área. No meio, Rafael Moura desviou para Carlos Alberto, que testou para o gol. Antes da bola entrar, desviou no meia Tinga e morreu no fundo das redes.

Muito nervosimo!
Após levar o primeiro gol, o Palmeiras voltou para a segunda etapa muito nervoso, sabendo que numa falha poderia levar o segundo tempo e perder a vaga à final da Copa Sul-Americana, por isso, o time pouco tocava a bola e deixava o Goiás tomar conta do jogo, mesmo com pouca qualidade técnica.

Os dois times não conseguiam chegar com muito perigo, o jogo ficou com muitos passes errados e pouca criatividade. O Goiás tentava chegar nas bolas alçadas na área, enquanto, o Palmeiras, nervoso, não chegava. E, não contava com seu atacante, já que Kleber não estava numa noite muito feliz e quase não acertava o gol.

O Estádio Pacaembu estava nervoso e com o tempo passando, a torcida do Palmeiras pouco cantava, mas aos 37 minutos, se calou de vez. Marcão foi até a linha de fundo e cruzou para Rafael Moura, ele tocou para o meio da área. Em cima da linha, o zagueiro Ernando testou para o fundo das redes.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 1 x 2 Goiás

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP
Público: 36.410 pagantes
Renda: R$ 711.429,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes-PR
Auxiliares: Altemir Hausmann e Alessandro Rocha
Cartões amarelos: Douglas e Marcão (Goiás)
Gols: Luan aos 33’/1T (Palmeiras); Carlos Alberto aos 47’/1T e Ernando aos 37’/2T (Goiás)

Palmeiras
Deola; Márcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga (Ewerthon) e Lincoln (Dinei); Luan e Kleber.
Técnico: Luiz Felipe Scolari.