Luiz Antônio espera jogo difícil contra o Papão e pede “um passo de cada vez”

Depois de empatar com o Náutico no último sábado, o Bahia já está em Belém para enfrentar o Paysandu. A partida será às 19h15 desta terça-feira (horário de Brasília), no Mangueirão, pela 25ª rodada da Série B. A apenas dois pontos do G-4, o Tricolor enfrenta um adversário fragilizado, já que o Papão é o 16º da tabela, com 29 pontos, e não vence há quatro jogos. Os números, no entanto, não são vistos como vantagem pelos atletas da equipe baiana.
Nesta segunda, após desembarcar na capital paraense, o volante Luiz Antônio falou sobre o que espera para o duelo desta terça. Segundo ele, a má fase do Paysandu deve fazer com que o time entre em campo com vontade extra, já que precisa reverter sua situação na competição nacional.

– A gente sabe que, mesmo com o Paysandu sem vir de resultados bons e estando lá embaixo, vai ser um jogo complicado aqui. A gente viu o último jogo, a evolução deles contra o Brasil de Pelotas, foi um jogo muito difícil, eles tiveram muitas chances de sair com a vitória e não conseguiram. Eles vão vir com a mesma vontade que eles tiveram – avaliou o meio-campo.

Em oposição ao Papão, o Bahia navega em águas mais tranquilas. Com 36 pontos, a equipe está na sétima posição da tabela e observa de perto o CRB, primeiro time no G-4. Para melhorar, o Tricolor vem de seis jogos sem derrotas. Luiz Antônio vê o momento como surgimento e fortalecimento de um “novo Bahia”, ao qual ele pretende dar sequência na Série B.
– Momento bom. Evolução da equipe. A gente cada vez mais está buscando ficar mais compactado, ter uma forma e jogo, ter o seu ideal. Isso está sendo bom para a gente. A gente está conseguindo mostrar isso dentro de campo, mostrar um Bahia diferente. Se Deus quiser, a gente vai continuar com essa sequência. E vai levar o Bahia lá para a frente, que é o mais importante – declarou.
Mas, apesar da boa fase, este não é o momento de empolgação. Com os pés no chão, o volante tricolor diz que é necessário trilhar o caminho devagar e seguir uma etapa por vez. Primeiro, ele vislumbra a chegada ao G-4. Depois, quem sabe, até a possibilidade de título.
– Um passo de cada vez. A gente está buscando chegar ao G-4. E, quando chegar ao G-4, a gente pensar mais na frente em título. Está muito complicado, a diferença diminuiu um pouco. A gente está buscando. É primeiro pensar em um jogo de cada vez, buscando o G-4, para depois, lá na frente, a gente pensar em título – concluiu.

Fonte : bahia