Leílson quer ter sequência

Carlos Cauã está louco pra ver o papai nos gramados outra vez. O garoto de 3 anos, filho do meia Leílson, é apaixonado por futebol.

Ele é a principal inspiração do jogador, que sofreu duas lesões no segundo semestre de 2012. “Meu filho sempre vinha pro estádio quando eu estava jogando. Quando eu fiquei em casa ele me pedia gols. Se o Vitória fazia um gol na televisão, ele gritava ‘gol de papai’ e eu ficava sem palavras, era muito triste”, conta o meia.

Leílson teve duas lesões no mesmo lugar da coxa esquerda. A primeira foi em agosto, durante um treino na Toca do Leão. Na ocasião, ele tinha conquistado espaço no time e a confiança do técnico Paulo César Carpegiani, primeiro técnico a dar oportunidade no time profissional ao atleta revelado na base do Vitória.

Antes de se machucar, fez 10 jogos na Série B e dois gols. Depois, já recuperado, entrou durante o jogo contra o Ceará, na última rodada.

O segundo semestre de 2012 foi realmente complicado para Leílson. Além das duas lesões, ele viveu um drama pessoal. Durante o período de recuperação, o jogador e sua família foram sequestrados após deixarem a Toca do Leão. “Foi bem complicado. Fui perseguido na BR-324 com minha esposa e meu filho no carro. Fomos sequestrados, pegaram os pertences, mas não fizeram nada. Esse foi o pior dia da minha vida”, recorda.
Leílson levanta peso no gramado durante o treino do Vitória

Depois de seis meses de agonia, Leílson tem novos objetivos. Pela primeira vez, terá a chance de jogar a Série A do Campeonato Brasileiro. “Vou trabalhar forte e quero garantir meu espaço. É um sonho desde criança jogar contra o Corinthians, contra o Flamengo. Sou um jogador jovem, estou doido para arrebentar e prometo muitos gols”, vibra o atleta de 21 anos, que tem contrato com o Vitória até 2016.

Até o momento, ele e Arthur Maia, também revelado na Toca, são os únicos meias no elenco rubro-negro. O clube pretende contratar pro setor.

Credito:Daniela Leone Correio