Publicidade


Júnior marca duas vezes

A partida não significava muito para o tricolor. Qualquer resultado neste domingo (15) não alteraria sua posição na classificação. Porém, mesmo sem poder contar com dezoito jogadores, entre poupados, suspensos e machucados, o Bahia derrotou o Atlético de Alagoinhas, por 2 a 1, no Estádio do Carneirão. O Bahia, que detém a vantagem de poder jogar por dois empates, encara o Vitória da Conquista, domingo (22), às 16h, no Lomanto Júnior. Mas, antes disso, o tricolor enfrenta o Remo pela Copa do Brasil.

Foto: Agência Haack

 

Júnior abre o placar
O começo da partida Bahia esteve longe de aparentar um time sem dezoito jogadores, seja por problemas de lesão ou suspensão. Logo aos 2, o meia Vander foi até linha de fundo e cruzou. Júnior antecipou ao zagueiro e cabeceou para uma grande defesa do goleiro Marcos Paulo. O campo não ajudava, mas o Bahia era superior nos primeiros dez minutos. Não é à toa que Júnior, aos 8, abriu o placar. O atacante subiu antes do arqueiro atleticano, após cobrança de escanteio pelo lado esquerdo, e desviou para o fundo da rede. O time da casa chegou ao ataque só aos 12. O volante Antônio Carlos soltou uma bomba de fora e Omar se esticou todo para evitar o empate. Seis minutos depois o camisa 1 trabalhou de novo. Diego Jussani e Danny Morais bateram cabeça dentro da grande área e a bola sobrou nos pés Robert. Quase caído, o atacante bateu e Omar, com a mão direita, deu um tapa para fora.

Carcará cresce no jogo
O Atlético, desvantagem, não tinha outra saída a não ser ataque. O Bahia facilitou. Recuou e cedeu espaços ao adversário que cresceu. Aos 31, o zagueiro Rogério Sodré pegou a sobra de bola, na meia-lua, e levou muito perigo ao gol de Omar. Finalização passou muito próxima ao poste direito. O esquadrão só conseguiu respirar aos 41. Júnior se bateu com o zagueiro Rodrigo e a bola ficou para Magno. O meia entrou na grande área, livre de marcação, mas não finalizou e muito menos tocou corretamente. Uma boa oportunidade desperdiçada. Por muito pouco o tricolor não foi castigado. Aos 47, no último lance da primeira etapa, Juninho Cearense fez o cruzamento e Robert, um pouco atrasado, não conseguiu desviar em direção ao gol.

Atlético pressiona, mas é o Bahia que marca
No intervalo, os dois treinadores mudaram. Falcão colocou Fabinho no lugar do jovem Raylan, que já tinha cartão amarelo. O volante foi o escolhido para ser improvisado na lateral-direita. No Atlético, Ferreira optou por trocar um atacante por outro. Saiu Juninho Cearense para entrar de Deon, que quase marcou o gol de empate aos 4 minutos. Diego Jussani assistiu ao cruzamento e, de cabeça, o camisa 18 obrigou uma bela defesa de Omar. Quem não faz toma. O Bahia, que ainda não havia chegado ao ataque, tratou de botar as garras de fora. Aos 12, Vander fez outra boa jogada pelo lado direito e levantou para Júnior. Desta vez deu tudo certo. O zagueiro Rogério não conseguiu cortar o lance e Júnior só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol. Bahia 2 a 0. Aos 19, Rodrigo cortou errado e deixou a bola nos pés de Diones. De fora, o volante encheu o pé e tirou tinta da trave esquerda de Marcos Paulo. No minuto seguinte foi o Atlético que assustou. Robert, sem qualquer marcação, ficou de frente com Omar mas demorou demais para finalizar. Fabinho apareceu como homem surpreso e cortou para escanteio.As alterações realizadas pelo treinador Ferreira, até mesmo pela necessidade do resultado positivo, deixaram o Atlético muito ofensivo e, ao mesmo tempo, exposto na defesa. Em um dos contra-ataques do Bahia, aos 31 minutos, Jones quase marca. O atacante dominou na frente da área, bateu com estilo, mas o chute acertou a trave.

Atlético diminui
Aos 39,O atacante Deon aproveitou a falha de posicionamento do volante Fabinho, improvisado na lateral-direita, e cruzou. Elcimar chutou de primeira e Omar fez uma linda defesa. No rebote, quase que já em cima da linha, o atacante do Atlético de Alagoinhas só tocou para o gol. Novo ânimo ao time da casa. Dois minutos depois, Pelezinho chutou rasteiro em direção à pequena área, mas Diego Jussani apareceu e evitou o empate.

FICHA TÉCNICA
Atlético de Alagoinhas x Bahia
Local: Estádio do Carneirão, em Alagoinhas
Data: 15/04/2012
Árbitro: Diego Pombo Lopez
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira e Jucimar dos Santos Dias.
Gols: Júnior (Bahia)
Cartões amarelos: Ademir, Marcos Neves, Tácio e Rodrigo (Atlético) / Raylan (Bahia)

Atlético de Alagoinhas: Marcos Paulo; Ademir, Rogério Sodré e Pelezinho; Fausto,Tácio (Marcos Neves),Antônio Carlos (Elcimar) e Dinda. Robert e Juninho Cearense (Deon). Técnico: Ferreira.
Bahia: Omar; Raylan (Fabinho), Diego Jussani, Danny Morais e Jussandro; Lenine, Diones, Magno e Vander; Zé Roberto (Jones) e Júnior (Rafael). Técnico: Paulo Roberto Falcão.

Fonte: Bahia Notícias