Itália e Paraguai ficam no empate

A Itália continua com a sua sina de não vencer em estreia na Copa do Mundo, após ganhar o Mundial passado. Foi assim em 1938, 1950 e 1986. Na sua primeira partida na abertura do Grupo F, a “Azurra” só empatou com o Paraguai por 1 a 1, no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo.

O Paraguai acabou empatando, após não contar com seu principal atacante nas Eliminatórias, Cabañas que nem foi convocado, pois ainda se recupera de um tiro na cabeça. Já a Itália não pôde contar com o seu principal jogador, o meia Pirlo, que ainda segue lesionado.

O jogo
A Itália começou a partida no esquema 4-3-3, com Pepe, Gilardino e Iaquinta comandando o poder ofensivo da equipe. A Azzura partiu para cima, com mais posse de bola, mas sem muitas chances.

Já o Paraguai, jogou no tradicional sistema de 4-4-2, se fechando todo atrás, e saindo rápido nos contra-ataques.

O primeiro chute de gol dos italianos na partida ocorreu só, aos 12 minutos, após chute forte de De Rossi de fora da área, com o goleiro Villar do Paraguai pegando no centro do gol.

A Azzura seguiu atacando, com o meia Montolivo, que pegou a bola no meio de campo, aos 21 minutos, e foi levando, até chegar na entrada da área e bater rasteira, só que o chute saiu fraco, fácil para o Villar.

Os paraguaios chegaram a sua primeira chance de gol, só aos 33 minutos, após Lucas Barrios ajeitar a bola de peito, para o atacante Nelson Valdez chegar batendo da entrada da área, indo direito para a fora.

Mesmo sendo bastante pressionado, o Paraguai conseguiu chegar ao seu gol aos 38 minutos. Após falta cobrada da direita, pelo meia Torres, o zagueiro Alcaraz subiu entre Canavarro e De Rossi e cabeceou no canto esquerdo do goleiro Buffon, que nem teve reação de chega na bola.

Depois do gol, o time paraguaio continuou com sua forte marcação, até o final da primeira etapa.

Equilíbrio
A segunda etapa foi mais equilibrada, com as duas seleções perdendo algumas oportunidades de gol, porém errando muitos passes fáceis, dando chance para os contra-ataques. Logo no intervalo o goleiro Buffon da Itália, deu lugar ao goleiro Marchetti, por problemas no nervo ciático.

A Itália começou melhor, e logo aos seis minutos, o atacante Pepe, cruzou para trás, Gilardino chegou batendo a bola, que passou raspando a trave esquerda do goleiro Villar.

Não demorou muito para os paraguaios assustar a Azzura. Aos nove minutos, o atacante Lucas Barrios recebeu a bola dentro da área, mas chutou prensado, na sobra Cáceres pegou de primeira e bola raspou o travessão do goleiro Marchetti.

Depois de uma jogada de escanteio e falha da zaga paraguaia, a Itália conseguiu chegar ao empate aos 17 minutos. Depois do tiro de canto cobrado pela esquerda por Pepe, a bola passou por todo mundo, e sobrou para o volante De Rossi, na segunda trave empurrar para o gol vazio.

Siga o Futebol Interior também pelo Twitter!

Logo após o empate, os italianos seguiram pressionando, e aos 23, Gilardino arriscou de fora da área, obrigando o goleiro Villar, se esticar todo, e espalmar para escanteio.

Mais pressão
A Azurra seguiu pressionando, e aos 34, Di Natale que havia acabado de entrar no lugar de Gilardino, bateu dentro da grande área, em cima do goleiro Villar, que no reflexo espalmou para escanteio.

Outra grande chance perdida por De Rossi. O volante puxou contra-ataque, e quando chegou na entrada da área, arriscou, a bola no tocou na trave esquerda e saiu para a linha de fundo.

Apesar da grande pressão, o jogo acabou mesmo em 1 a 1, com a Itália seguindo sem vencer nas estreias da Copa, após vencer o Mundial anterior.

Ficha Técnica

Itália 1 x 1 Paraguai
Local: Estádio Green Point, na Cidade do Cabo na África do Sul.
Árbitro: Benito Archundia-MEX
Cartões amarelos: Víctor Cáceres (Paraguai) Camoranesi (Itália)
Gols: Alcaraz, aos 38’/1T (Paraguai) De Rossi, aos 17’/2T (Itália)

Itália
Buffon (Marchetti); Zambrotta, Cannavaro, Chiellini e Criscito; De Rossi, Marchisio (Camoranesi), Montolivo e Pepe; Iaquinta e Gilardino (Di Natale).
Técnico: Marcelo Lippi.

Paraguai
Villar; Morel Rodriguez, Da Silva, Alcaraz e Bonet; Torres (Santana), Vera, Víctor Cáceres e Riveros; Nelson Valdez (Roque Santa Cruz) e Lucas Barrios (Oscar Cardozo).
Técnico: Gerardo Martino.