Independiente-ARG 3 x 1 Goiás – O Grêmio agradece

O Goiás foi valente e lutou até o último minuto, mas quem acabou conquistando a Copa Sul-Americana de 2010 foi o Independiente-ARG. Depois de vencer por 3 a 1 no tempo normal, o time argentino levou a melhor nos pênaltis, vencendo por 5 a 3 e ficando com a taça.

Com esse título, o Independiente acabou ficando com a vaga para a Libertadores do ano que vem. Enquanto isso, o Goiás acabou apenas com o vice-campeonato e teve que lamentar mais uma frustração na temporada, após ser rebaixado para a Série B do Brasileiro.

No jogo em Goiânia, o time esmeraldino venceu por 2 a 0, podendo perder no tempo normal por dois gols de diferença e foi justamente o que aconteceu. Com a vitória do Independiente por 3 a 1, a decisão ganhou ainda mais emoção e acabou indo para a prorrogação. Como ninguém conseguiu fazer um gol, o título foi decido nos pênaltis.

Grêmio na Libertadores
Quem também comemorou o resultado foi o Grêmio, que acabou garantindo a classificação para a disputa da pré-Libertadores de 2011. Se o Verdão tivesse ficado com o título, o Imortal estaria eliminado, pois terminou o Brasileirão na quarta colocação e ficaria com uma das vagas designadas aos clubes brasileiros.

Início eletrizante e três gols
Apesar da grande pressão dos torcedores do Independiente, quem criou a primeira chance de gol foi o Goiás. Rafael Moura passou para Douglas, que chegou batendo pela linha de fundo, logo aos três minutos. Os argentinos tinham maior posse de bola, mas não conseguiam chegar com perigo ao gol de Harlei.

No entanto, na primeira grande oportunidade e aproveitando uma falha do sistema defensivo esmeraldino, o Independiente abriu o placar aos 19 minutos. Em jogada ensaiada, Matheu recebeu dentro da área e bateu forte, para grande defesa do goleiro Harlei. No rebote, o zagueiro Velázquez estava livre e apenas teve o trabalho de completar para o fundo do gol.

A torcida argentina nem teve tempo para comemorar. Três minutos depois, Wellington Saci cruzou para a área e o atacante Rafael Moura cabeceou no contra-pé do goleiro Navarro, que apenas olhou. O Estádio Libertadores da América ficou em silêncio e uma bomba foi estourada no banco de reservas do Goiás durante a comemoração.

Aos 26 minutos, foi a vez dos torcedores argentinos comemorarem e um gol bastante esquisito. Ernando tentou cortar um passe dentro da área e bateu em cima de Parra, mas a bola acabou encobrindo Harlei, que saia para fazer a defesa, e morreu no fundo do gol, colocando o Independiente novamente na frente.

Mais gol estranho e clima fica tenso
O Goiás parece que se perdeu dentro de campo depois do segundo gol e acabou levando o terceiro aos 33 minutos, em mais um lance esquisito. Parra dividiu a bola com Marcão e caiu no chão, mas mesmo assim conseguiu dar um carrinho e acertar o ângulo de Harlei, que pulou e nada alcançou. Depois desse lance, o clima ficou tenso dentro de campo e os jogadores bateram boca após uma falta.

No último lance de perigo do primeiro tempo, o time argentino quase marcou o quarto gol. Cabrera recebeu passe de Battion e bateu forte, mas a bola passou raspando a trave de Harlei, levando os torcedores a loucura.

Chances desperdiçadas e gol anulado
Apoiado pelos seus torcedores, principalmente após o grande resultado conquistado no primeiro tempo, o Independiente quase marcou o quarto logo aos dois minutos da etapa final. Parra recebeu passe dentro da área e bateu forte, para uma grande defesa de Harlei, que se esticou todo e mandou para escanteio. A resposta esmeraldina veio na sequência.

Otacílio Neto bateu falta com muita força, mas a bola fez muita curva e acabou saindo por cima do gol de Navarro. Aos 18 minutos, o Goiás acabou tendo um gol anulado. Após cruzamento para a área, Otacílio Neto dominou e bateu na saída do goleiro, mas bandeirinha assinalou impedimento.

O jogo melhorou de qualidade e ambos os times perderam duas boas chances. Aos 17, Cabrera tentou o cruzamento, mas a bola quase acabou enganando Harlei, raspando o travessão. Na sequência, Rafael Moura tabelou com Carlos Alberto, invadiu a área e deixou dois zagueiros no chão, mas na hora da finalização bateu em cima de Navarro.

Por outro lado, o jogo caiu bastante de produção na segunda metade da etapa final e poucas chances foram criadas. Aos 39 minutos, Rafael Moura arriscou da entrada da área e Navarro fez boa defesa, espalmando para fora. No último lance, o atacante recebeu passe dentro da área e bateu na rede pelo lado de fora.

Prorrogação
Com a vitória do Independiente por 3 a 1, o título da Sul-Americana ficou para ser decidido na prorrogação, já que na partida de ida o Goiás venceu por 2 a 0. Logo no início, Felipe recebeu passe de Rafael Moura e acertou um bonito chute de primeira. O goleiro Navarro desviou para escanteio, mas o árbitro assinalou apenas tiro de meta.

A resposta dos argentinos veio aos 11 minutos, quando Cabrera recebeu passe dentro da área e bateu forte, mas Harlei estava bem posicionado e fez a defesa com segurança. Os dois times mostraram muito cansaço e pouco criaram no final do primeiro tempo.

No primeiro lance do segundo tempo, Rafael Moura fez boa jogada e cruzou para dentro da área. Meio sem ângulo, o zagueiro Rafael Tolói cabeceou e acertou a trave. No rebote, a zaga do Independiente afastou o perigo. O Goiás marcou um gol aos quatro minutos, mas o bandeirinha assinalou impedimento duvidoso do zagueiro Marcão.

Pênaltis
Como ninguém conseguiu vencer na prorrogação, a decisão acabou indo para os pênaltis. O Independiente começou batendo e Velazquez marcou o primeiro. Na sequência, Rafael Tolói fez para o Goiás. Parra, Everton Santos e Gracian converteram, enquanto Felipe bateu na trave e perdeu a primeira cobrança.

Matheu fez para o Independiente e a decisão ficou para Rafael Moura, que converteu. A última cobrança dos argentinos ficou para o zagueiro Tuzzi, que bateu com categoria, no ângulo de Harlei e garantiu o título para os hermanos.

Ficha Técnica

Independiente-ARG (5) 3 x 1 (3) Goiás

Local: Estádio Libertadores de América, em Avellaneda-ARG
Árbitro: Oscar Ruiz-COL
Auxiliares: Abraham González-COL e Humberto Clavijo-COL
Cartões Amarelos: Matheu, Velázquez, Navarro e Tuzzio (Independiente); Otacílio Neto e Rafael Moura (Goiás)
Gols: Velázquez aos 19’/1T e Parra aos 26’/1T e aos 33’/1T (Independiente); Rafael Moura aos 22’/2T (Goiás)

Independiente-ARG
Navarro; Velázquez, Tuzzio e Matheu; Cabrera, Fredes (Maxi Velázquez), Martinez (Gomez), Battión e Mareque; Parra e Pato Rodriguez (Grácian).
Técnico: Antonio (Turco) Mohamed.

Goiás
Harlei; Rafael Toloi, Ernando e Marcão; Douglas (Everton Santos), Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa e Wellington Saci; Rafael Moura e Otacílio Neto (Felipe).
Técnico: Arthur Neto.