Gana 2 x 1 EUA: força africana na próxima fase

Gana fez história na Copa do Mundo. Pela primeira vez, a seleção chega às quartas de final do Mundial e de quebra iguala o feito de Camarões e Senegal que já alcançaram esta fase em 1990 e 2002, respectivamente. Além disso, os ganeses mantém vivo o sonho africano de conquistar pela primeira vez a Copa.

Mais a classificação não foi fácil. Após empatar no tempo normal por 1 a 1 com os Estados Unidos, Gana soube aproveitar o bom preparo e marcou com Gyan, logo aos três minutos do primeiro tempo da prorrogação e levou a seleção ao feito histórico. Agora, o adversário será o Uruguai, no próximo dia 2 em Johannesburgo. Ambos podem estar no caminho do Brasil na semifinal.

APOIADOS PELAS VUVUZELAS, GANA TOMA CONTA DO PRIMEIRO TEMPO

A única seleção africana que seguiu na competição, Gana tinha o apoio da maioria dos torcedores presentes em Rustemburgo. Os ganeses partiram para a frente em velocidade e foram recompensados. Logo aos cinco minutos, o primeiro gol. Prince Boateng avançou livre com a bola dominada, limpou a marcação e encheu o pé para abrir o marcador para os africanos. Festa e muitas vuvuzelas no Royal Bafokeng.

Os Estados Unidos sentiram o golpe e começaram a errar passes fáceis. Gana bem postada e confiante, continuou apertando os rivais no campo de ataque e buscando o segundo gol. Gyan teve boa chance de ampliar, cobrando falta, mas Howard salvou. Após acalmar-se, os americanos entraram na partida e arriscaram bons ataques, sem muito perigo.

Percebendo a equipe mal em campo, Bob Bradley realizou a primeira alteração aos 30 minutos, ao sacar Clark – que já tinha cartão amarelo – e colocar Edu. Mesmo assim, os ganeses continuaram mantendo maior posse de bola, mas levando pouco perigo. Já os EUA, ainda perdidos em campo, não mostravam criatividade e viram Gana deixar a primeira etapa com a vantagem no marcador e perto de uma inédita vaga nas quartas de final.

ESTADOS UNIDOS VOLTAM PRESSIONANDO E LEVAM A PARTIDA PARA PRORROGAÇÃO

OS EUA voltaram com uma nova mudança, Bradley tirou Findley e colocou Feilhaber. Logo nos primeiros minutos, os americanos mostraram uma postura diferente da primeira etapa e partiram para cima dos ganeses, querendo o empate. Aos quatro minutos, Altidore colocou Feilhaber na cara do gol. Ele bateu rasteiro e obrigou Kingson a fazer ótima defesa.

Com a partida aberta, o jogo ficou emocionante e ganhou contornos dramáticos. A pressão americana cresceu, obrigando Gana a jogar nos contra-ataques. De tanto martelar, os EUA chegaram ao empate. Aos 15, Dempsey recebeu na área e foi derrubado por trás por Jonathan. Donovan cobrou o pênalti com precisão, a bola ainda tocou na trave, mas morreu no fundo do gol de Kingson.

Após o empate, o jogo ficou truncado. As duas seleções mostraram cautela para se expor ao ataque. Os Estados Unidos seguiram melhores em campo, criando algumas oportunidades, só que a virada não aconteceu e pela primera vez nesta Copa uma partida foi para a prorrogação.

GANA FAZ HISTÓRIA NA COPA DO MUNDO E SE IGUALA A CAMARÕES E SENEGAL

As duas equipes voltaram mostrando cansaço. Porém aos três minutos da prorrogação, Gyan recebeu lançamento de Ayew, ganhou de Bocanegra e soltou a bomba para colocar Gana em vantagem. Com o gol assinalado, Gyan assume a artilharia do Mundial ao lado de Donovan, Villa, Vittek, Higuaín e Suárez. Com o gol, os americanos acordaram na partida, mas o cansaço prejudicou a equipe de Bob Bradley que não conseguiu esboçar reação.

No segunda tempo da prorrogação, os americanos sairam para o ataque, mas sem forças viram Gana tocar a bola a fazer história. Com a vitória, os ganeses chegam pela primeira vez na história às quartas de final de uma Copa do Mundo, igualando o feito de Camarões em 1990 e do Senegal em 2002. Além disso, mantém a África viva na Copa e o sonho de um país do continente, que está sendo sede do Mundial, ser campeã pela primeira vez.

FICHA TÉCNICA:
ESTADOS UNIDOS (0) 1X1 (1) GANA

Estádio: Royal Bafokeng, em Rustemburgo (AFS)
Data/hora: 26/6/2010 – 15h30 (de Brasília)
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)
Auxiliares: Gabor Eros (HUN) e Tibor Vamos (HUN)
Cartões amarelos: Clark, Cherundolo, Bocanegra (EUA); Jonathan, Ayew (GAN)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Prince Boateng, 5’/1ºT (0-1); Donovan, 16’/2ºT (1-1); Gyan, 3’/1ºT Prorrogação (1-2);

ESTADOS UNIDOS: Howard; Cherundolo, DeMerit, Bocanegra e Bornstein; Bradley, Clark (Edu, 30’/2ºT), Dempsey e Donovan; Findley (Feilhaber, intervalo) e Altidore (Gómez, 1’/1ºT Prorrogação). Técnico: Bob Bradley.

GANA: Kingson; Pantsil, John Mensah e Jonathan; Inkoom (Muntari, 6’/2ºT Prorrogação), Annan, Prince Boateng (Appiah, 31’/2ºT), Ayew, Asamoah e Sarpei (Addy, 27’/2ºT); Gyan. Técnico: Milovan Rajevac.