Futebol masculino

O Brasil chegou pressionado aos Jogos Olímpicos de Londres com duas missões: cumprir o papel de favorito da competição e trazer uma inédita medalha de ouro para o país. A pressão continua e a busca por um título olímpico também. Depois de uma campanha quase perfeita, com cinco triunfos e quinze gols marcados, o Brasil parou no carrasco México. Na sexta decisão contra os mexicanos, os brasileiros levaram a pior pela quinta vez. Desta vez, na final dos Jogos Olímpicos de Londres, realizada na manhã deste sábado (11), o time mexicano venceu a partida por 2 a 1, com dois gols do atacante Oribe Peralta. Ao Brasil, que conquistou a terceira medalha de prata no futebol masculino na historia das Olimpíadas, resta lamentar e aguarda pela Copa das Confederações e o Mundial de 2014 que acontecerão em solo brasileiro.

México abre o placar
A decisão olímpica não poderia começar pior para o Brasil. O relógio sequer marcava um minuto de bola rolando. O lateral-direito Rafael, ao tentar o passe para Sandro, errou na dose. A bola sobrou para o atacante Oribe Peralta, livre de marcação, que bateu no canto direito de Gabriel. México abre o placar com apenas trinta segundos de partida. A Seleção Brasileira sentiu o golpe. Nenhum ataque e muitos passes errados nos primeiros dez minutos. Aos 12, após cobrança de falta de Neymar, o zagueiro Thiago Silva cabeceou por cima, na primeira boa chegada brasileira. A marcação do México era forte e extensa. Mas, aos 19 minutos, o time canarinho finalmente botou o goleiro Corona para trabalhar. Leandro Damião recebeu lançamento pelo lado esquerdo e tocou para o meia da grande área. Oscar dominou, girou e bateu de perna esquerda, sem muita dificuldade para o arqueiro mexicano. Foi pouco.

Brasil cresce, mas não empata
O Brasil não conseguia encaixar uma boa troca de passes. Não é à toa que Mano Menezes chamou o atacante Hulk para uma conversa e, aos 25 minutos, mandou o destaque do Porto para o aquecimento. Cinco minutos depois, o camisa 12 entrou no lugar de Alex Sandro, recolocando a seleção com três atacantes como iniciou a competição. Apesar da mudança, o Brasil levou um susto. Aos 35, Aquino bateu de fora e a bola passou pela linha de fundo. O lance acordou o Brasil. Marcelo, de calcanhar, deu um lindo passe para Oscar. O meia entrou na grande área e rolou para trás. Mas, antes de qualquer jogar brasileiro, Herrera afastou o perigo. No minuto seguinte o atacante Hulk quase deixa tudo igual. O atleta revelado nas categorias de base do Vitória soltou uma bomba de longe e Corona espalmou para escanteio. O Brasil continuou em cima. Aos 39, Leandro Damião fez o papel de pivô e rolou para Marcelo, que finalizou para fora. No último lance do primeiro tempo, Neymar arriscou de fora e levou perigo.

Brasileiros muito bem marcados
A segunda etapa começou com o Brasil em busca do empate. Aos 2, Neymar arrancou pelo meio e chutou forte, por cima da meta de Corona. O craque santista chamou a responsabilidade. Aos 4, o atacante fez jogada individual, entrou na área, porém, na hora do arremate, foi travado pelo zagueiro mexicano. O México, com a vantagem no placar, se preocupava apenas em se defender. Aos 14, Neymar teve outra boa oportunidade de deixar tudo igual. Após confusão na área mexicana, a bola sobrou nos pés do camisa 11, que bateu de primeira e exagerou na força. Finalização subiu demais e foi apenas tiro de meta. A esperança do título olímpico quase caiu por terra aos 17 minutos. O capitão Thiago Silva falhou feio e o meia Fabián ficou de frente com Gabriel. O mexicano, sem ângulo, tentou o toque por cobertura e acertou o travessão. Na sequência, o zagueiro brasileiro afastou a bola. A resposta brasileiro foi imediata. Rafael cruzou rasteira para Leandro Damião. O camisa 9 dominou, girou e na hora da finalização foi desarmado por Mier.

México pressiona e amplia
O Brasil era melhor na partida. No entanto, o México foi quem chegou ao gol mais uma vez. Só que desta vez não valeu. Peralta recebeu o cruzamento de Enríquez e bateu para o gol. O auxiliar marcou impedimento e invalidou o que seria o segundo gol. Os mexicanos aplicaram um grande susto na torcida brasileira, aos 27. Após escanteio, o goleiro Gabriel saiu errado e, sem goleiro, o meia Fabián cabeceou na rede pelo lado de fora. Era questão de tempo. Aos 29, o atacante Peralta conseguiu se livrar da marcação e, de cabeça, deixou o México ainda mais perto do título da Olimpíada. México 2 a 0 Brasil. Aos 45 minutos, nos minutos finais da decisão, o Brasil diminuiu o placar. Hulk avançou pela direita e tocou na saída do goleiro Corona. E não é que o Brasil teve a chance de empatar aos 47? Oscar, após cruzamento de Hulk, subiu sem marcação e testou por cima da meta.

Jogos Olímpicos de Londres – Final
Brasil x México

Local: Estádio Wembley, em Londres
Data: 11/08/2012
Árbitro: Mark Clattenburg
Auxiliares: Stephen Child e Simon Beck.
Gols: Hulk (Brasil) / Peralta (México)
Cartão amarelo: Marcelo e Leandro Damião (Brasil) / Reyes, Vidrio e Jimenez (México)

Brasil: Gabriel; Rafael (Lucas), Thiago Silva, Juan e Marcelo; Sandro (Alexandre Pato), Rômulo, Alex Sandro (Hulk) e Oscar; Neymar e Leandro Damião.
México: Corona; Jimenez (Vidrio), Salcido, Mier, Reyes e Chavez; Herrera, Aquino (Miguel Ponce) e Enriquez; Peralta (Raul Jimenez) e Fabian

Fonte: Bahia Notícias