É líder!

A Ponte Preta bem que tentou, mas voltou a tropeçar diante de seus torcedores e perdeu de virada para o Bahia na tarde deste sábado, por 2 a 1, no Estádio Moisés Lucarelli, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O jogo também teve quebra de recorde no Majestoso no nacional deste ano: 9.315 pagantes.

A derrota diante de seus torcedores deixa a Macaca com 37 pontos e na quinta colocação da Série B, voltando a sair do tão sonhado G4. O quarto é o América-MG, que tem a mesma pontuação, mas com uma vitória a mais: 11 contra 10. Enquanto isso, o Tricolor baiano chegou aos 40 pontos e assumiu a liderança, deixando o Figueirense para trás. O Coritiba tem a mesma pontuação, mas perde no saldo de gols (6 contra 12).

Gol relâmpago e expulsão
Em busca da liderança, os dois times começaram a partida buscando o primeiro gol. Contando com o apoio de sua torcida, que compareceu em bom número ao Majestoso, a Ponte Preta abriu o placar na sua primeira chance real, aos sete minutos. Souza lançou para Guilherme, que chegou na linha de fundo e cruzou para dentro da área. Sempre bem posicionado e mostrando oportunismo, o atacante Reis completou, livre, para o gol, fazendo o seu décimo nesta Série B.

Depois de ter levado o gol no início do jogo, o Bahia se lançou para o ataque indo em busca do empate e tinha a maior posse de bola, enquanto a Macaca procurava apostar no contra-ataque. Aos 18, a bola foi cruzada para a área e William tentou a virada, mas acabou sendo desarmado pelo zagueiro Nen. A situação alvinegra ficou pior aos 26 minutos, quando Naldo fez falta por trás e recebeu o segundo amarelo e acabou sendo expulso.

Mesmo com um a menos, a Ponte perdeu grande chance de marcar o segundo. Depois de roubar a bola, Bruno Collaço lançou para Reis, que ganhou na velocidade dos zagueiros adversários e bateu na saída de Fernando, mas acabou pegando errado e mandou para fora. Com maior posse de bola, O Bahia tinha dificuldades em entrar na zaga alvinegra e por isso apostava nas bolas áreas.

Pressão e chances perdidas
Aos 38 minutos, Jancarlos aproveitou rebote da zaga e arriscou de fora da área, mas Eduardo Martini estava atendo e fez a defesa com segurança. Na sequência, a bola foi cruzada para a área e Adriano acertou uma bonita bicicleta e mandou pela linha de fundo. A Macaca quase ampliou aos 41, quando o zagueiro Leandro Silva cobrou falta com muita força e a bola passou raspando a trave de Fernando.

A última chance do primeiro tempo foi da Macaca. Aos 46 minutos, Ivo fez boa jogada individual e arriscou de fora da área, mas acabou pegando embaixo dela e mandou por cima do gol defendido por Fernando.

Lamentações e promessa ofensiva
“Não merecia ter sido expulso. No primeiro cartão amarelo tudo bem, mas essa segunda falta eu acho que não precisava ter dado o segundo e consequentemente o vermelho”, afirmou o zagueiro Naldo depois da expulsão.

“O Naldo se sacrificou para nós, já que poderíamos ter sofrido o gol de empate naquele lance. Agora nada mais do que justo corremos por ele e vencermos mais uma”, prometeu o atacante Reis.

“A Ponte Preta só teve uma chance de gol e na outra o atacante mandou para fora. Nós estamos em cima e vamos voltar mais para frente, buscando o empate e depois a vitória”, comentou o goleiro Fernando, do Bahia.

Empate e pressão baiana
O Bahia voltou todo para frente do intervalo, mas quem criou a primeira grande chance foi a Ponte Preta. Depois de um grande passe de Souza, Guilherme invadiu a área e cruzou na cabeça de Reis, mas o goleiro Fernando saltou e com um tapa evitou o gol. No lance seguinte, o Tricolor chegou ao empate contando com uma falha de Eduardo Martini.

O lateral-esquerdo Ávine avançou com arriscou de fora da área. A bola foi no canto direito de Eduardo Martini, que pulou e não conseguiu alcançar, aos nove minutos. Animado, o time baiano quase virou aos 15. O goleiro Fernando lançou a bola, que sobrou para Jael. O artilheiro invadiu a área e bateu na saída do goleiro adversário, que apenas observou ela ir para fora.

A virada quase aconteceu aos 20 minutos. Guilherme falhou e a bola acabou sobrando para Adriano, que apenas rolou para Jael. Com o gol aberto e sem goleiro, o atacante pegou muito mal e mandou para fora. Na sequência, Adriano cabeceou livre e acertou a trave de Eduardo Martini, levanto a torcida da Macaca e do Bahia ao desespero.

Virada justa
Muito superior dentro de campo, o Bahia perdeu mais um gol aos 26 minutos. Morais fez boa jogada individual e tocou para Adriano, que invadiu livre a área e chutou por cima do gol de Martini. A virada veio seis minutos depois em mais uma falha do goleiro alvinegro. Jancarlos cobrou falta por cima da barreira e acertou no ângulo do gol adversário.

A última chance do jogo foi da Ponte Preta, que quase deixou o gramado com um empate. Leandro Silva bateu falta com força e rasteira, mas o goleiro Fernando estava atento e caiu para fazer a defesa, garantindo os três pontos para o Bahia e a liderança.

Próximos jogos
Os dois times voltam a campo na próxima terça-feira, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A Ponte Preta terá pela frente o Guaratinguetá, às 19h30, no Estádio Dario Leite Rodrigues, enquanto o Bahia recebe o Vila Nova, no mesmo horário, no Estádio Pituaçu.

Ficha Técnica

Ponte Preta 1 x 2 Bahia

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP
Árbitro: Vinicius Costa da Costa-RS
Assistentes: José Javel Silveira-RS e João L. Monteiro de Souza JR-RS
Público: 9.315 pagantes
Renda: R$ 97.050,00
Cartões Amarelos: Naldo (Ponte Preta); Jancarlos e Vagner (Bahia)
Cartão Vermelho: Naldo (Ponte Preta)
Gols: Reis aos 7’/1T (Ponte Preta); Ávine aos 9’/2T e Jancarlos aos 32’/2T (Bahia)

Ponte Preta
Eduardo Martini; Guilherme, Naldo, Leandro Silva e Bruno Collaço; Pirão (Pablo Escobar), Josimar, Souza e Ivo (Eduardo); William (Moacir) e Reis.
Técnico: Jorginho.

Bahia
Fernando; Jancarlos, Vagner, Nen e Ávine; Bruno Octávio (Morais), Fábio Bahia, Hélder e Ananias (Rodrigo Gral); Adriano (Diego Correia) e Jael.
Técnico: Márcio Araújo.