Deu Leão!

Botafogo jogava por um empate sem gols para se classificar. Mas, quando a bola rolou, as coisas pareciam se encaminhar para uma classificação ainda mais tranquila. Gol de Elkeson e pênalti perdido por Neto Baiano davam sinais de uma noite negra para o Vitória. Que nada. Longe disso. Com direito à virada, o rubro-negro baiano derrotou o Botafogo por 2 a 1, no Estádio do Engenhão, na noite desta quarta-feira (9), e avançou para às quartas de finais da Copa do Brasil de 2012. O adversário na próxima fase será o Coritiba. Porém, antes dele, o Leão terá o Bahia pela frente na disputa do título estadual, domingo (13), às 16h, em Pituaçu.

Foto: Agência Haack

 

Início morno e gol de Elkeson
O Botafogo ganhou dois desfalques de última hora. O zagueiro Antônio Carlos e o meia Fellype Gabriel sentiram e foram vetados pelo departamento médico do clube. Do lado rubro-negro, o número de ausências era o mesmo. O zagueiro Victor Ramos, suspenso, e o volante Michel, lesionado. Os quatro desfalques, dois de cada equipe, aparentemente não fizeram falta. Os primeiros dez minutos mostraram uma sequência de passes errados e lançamentos logos sem muita precisão. A primeira oportunidade do jogo só aconteceu aos onze minutos. Márcio Azevedo cobrou o lateral na grande área e, na hora do corte, o zagueiro Gabriel Paulista falhou feio. A bola ficou para Maicosuel. O ‘Mago’ se bateu com Wellington Saci mas conseguiu cruzar, mesmo sem jeito. Sem marcação, Loco Abreu pegou em cheio na bola, de perna direita, mas o chute pegou na rede pelo lado de fora. Parte da torcida comemorou gol. Errado. Foi apenas tiro de meta. O Botafogo era melhor na partida. Dava mais velocidade ao jogo, principalmente com Maicosuel pelo lado esquerdo. Porém, em um lance inusitado, o alvinegro carioca chegou ao gol. Aos 20, Loco Abreu e Rodrigo se chocaram na hora da cabeçada e a bola foi na direção de Saci. O lateral-esquerdo deixou a bola escapar no momento do domínio e colocou Elkeso na cara do gol. O meia, ex-Vitória, aproveitou o vacilo e, quase caído, tocou na saída de Douglas. Botafogo 1 a 0. O primeiro tempo não empolgava em nada.

Vitória cresce, mas Neto Baiano perde pênalti
O meia Pedro Ken se movimentava, buscava o jogo, mas era peça isolada. Neto Baiano, extremamente isolado, sequer apareceu. A necessidade de buscar o empate faz o Vitória abrir mais os espaços e tentar o gol. Aos 37, peça até então não acionada, Neto Baiano deu o ar da graça. O artilheiro do Brasil, após escanteio cobrado por Geovanni, subiu mais que o goleiro Jefferson e cabeceou o para o gol. De forma heroíca, praticamente em cima da linha, o lateral-direito Lucas conseguiu chegar a tempo de evitar o gol de empate. O lance animou. Aos 39, Pedro Ken cruzou e Geovanni, de cabeça, obrigou uma boa defesa de Jefferson. VItória neste momento equilibrava o jogo. O final da primeira etapa ainda guardava grandes emoções. Aos 43, o meia Felipe Menezes arriscou de fora e Douglas defendeu. Dois minutos depois, o lateral-direito Lucas foi do céu ao inferno. Responsável por evitar o gol de Neto Baiano, aos 37, o camisa 2 protagonizou uma cena inusitada. Uelliton desviou de cabeça e Lucas, quase dentro do gol, deu um tapa na bola. Paulo César de Oliveira não marcou gol, mas assinalou pênalti e expulsou o alvinegro. Neto Baiano encheu o pé, mas não contava com Jefferson. O goleiro botafoguense, que se adiantou bastante, pulou no canto certo e impediu o empate.

Pedro Ken empata e Vitória cresce
Ricardo silva fez uma alteração na volta para o segundo tempo. Sacou Geovanni para entrada de Dinei. Time com mais um centroavante. No Botafogo, o lateral Gabriel entrou no lugar de Felipe Menezes para compor o ‘buraco’ deixado por Lucas, expulso. A mudança rubro-negra surtiu feito. Aos 3, Dinei disparou em direção ao gol e foi derrubado por Brinner. Pedro Ken cobrou falta com categoria e Jefferson fez uma linda defesa. O arqueiro apareceria mais uma vez, aos 9. Tartá girou na frente dos zagueiros e bateu de perna direita. Jeferson caiu e segurou firme. Só dava Vitória. Aos 11, Pedro Ken foi premiado pela bel atuação que fazia até o momento. Renato e Marcelo Mattos bateram cabeça na grande área e a bola sobrou para Dinei. O atacante, dentro da área, só fez rolar para o meia. Ken fez a menção do chute e cortou dois adversário. De esquerda, bateu no ângulo e deixou tudo igual no Engenhão. Neste momento, a vaga seria decidida nos pênaltis. Aos 16, o time baiano teve duas grandes chances de virar o placar. Dinei aproveitou cobrança de falta por Pedro Ken e exigiu mais uma bela defesa de Jeferson. A bola voltou para o meia do Vitória, que fez outro cruzamento. Desta vez, quem apareceu foi Uelliton. O capitão do Vitória cabeceou com muito perigo.

Virada do Vitória
Aos 22, Romário cruzou e Neto Baiano perdeu outra oportunidade. A cabeçada do camisa 9 passou rento ao posto direito de Jefferson. A virada era questão de tempo. E foi. Um minuto depois, Wellington Saci foi até a linha de fundo e levantou na medida para Tartá. Cabeçada certeira e virada rubro-negra. Classificação nas mãos. Aos 31, a partida ganhou mais um dose de emoção. Pedro Ken, que era o melhor jogador em campo, fez falta dura e foi expulso. Dez jogadores de cada lado. No minuto seguinte, Loco Abreu desviou de cabeça e deixou Maicosuel na cara do gol. O meia não conseguiu finalizar e a bola saiu pela linha de fundo. Aos 34, foi a vez do uruguaio desperdiçar uma chance. O camisa 13 cabeceou para o gol e a bola, antes de encontrar as redes, parou na cabeça de Rodrigo. O zagueiro apareceu em cima da linha e evitou o empate.

Fonte: Bahia Notícias