Cruzeiro parcela salários atrasados de Arthur Caíke para pagamento em um ano

Após receber proposta do Kashima Antlers, do Japão, Arthur Caíke acertou sua saída do Cruzeiro antes do fim do contrato. Com o clube devendo salários do jogador em um momento de crise financeira, os pagamentos do jogador terão que ser quitados aos poucos.

A Raposa se comprometeu em pagar mensalmente parte do valor acumulado dos salários referentes à segunda quinzena de outubro, novembro, dezembro, décimo terceiro, pagamento proporcional de férias e mais dez dias de janeiro que o jogador ainda estava com a equipe. A proposta agradou o atacante e seu empresário.

“O que estava para trás, a gente acertou e parcelou. O Cruzeiro não teria como pagar tudo de uma vez, e o Arthur acabou fazendo um acerto parcelado, por um longo tempo. Não tínhamos necessidade de prejudicar o Cruzeiro, ainda mais num momento complicado que o clube passa”, declarou Edson Neto, empresário do jogador, ao GE.

O Cruzeiro já não possuía interesse em comprar o jogador definitivamente. Seu contrato tinha previsão de término ao fim da Série B, mas com seus direitos pertencentes ao Al Shabab, da Arábia Saudita, fixados em US$ 1,2 milhão para venda, o Celeste não poderia arcar. O salário de Arthur Caíke na equipe mineira era superior ao teto do clube.

Aos 28 anos, esta será a segunda vez que o atacante irá jogar no futebol estrangeiro. Antes de acertar com o Cruzeiro, o jogador estava emprestado ao Bahia, onde ficou durante a temporada de 2019 e o início de 2020. Na Raposa, o atleta realizou 24 partidas e marcou quatro gols.

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro