Costa do Marfim vence por 3 a 0, mas está fora da Copa

Um milagre. Era exatamente o que a Costa do Marfim precisava para conseguir a classificação às oitavas de final da Copa do Mundo. Afinal, os africanos dependiam de uma vitória do Brasil contra Portugal, se possível por mais de um gol de diferença, e por uma goleada acima dos sete gols sobre a Coreia do Norte. Apesar da pressão inicial e do esforço, os marfinenses ganharam apenas por 3 a 0 em Nelspruit. No jogo de Durban, o 0 a 0 sacramentou mais uma eliminação africana.

O resultado, contudo, deixou os torcedores de Costa do Marfim felizes no Estádio Mbombela, que teve um público de 34.763 torcedores. Mesmo longe da vaga, eles não pararam de festejar um só minuto. Chegaram até a fazer uma estranha coreografia, em que imitavam elefantes, animal-símbolo do país africano, e ficaram de costas para o campo. Mas não era um protesto, e sim alegria pela vitória na despedida da Copa da África do Sul.

Apesar de não ter marcado na vitória por 3 a 0, o atacante Didier Drogba foi o grande destaque da partida. Ele jogou a Copa do Mundo no sacrifício, após quebrar o braço em um amistoso preparatório duas semanas antes do torneio.  Com belas jogadas e ótimos passes, ele acabou escolhido o melhor jogador em campo pelos internautas do site oficial da Fifa.

Com a vitória, Costa do Marfim terminou sua participação no Mundial na terceira posição do Grupo H, com quatro pontos. A Coreia do Norte, em sua segunda aparição em Copas, ficou na última posição após três derrotas. Os asiáticos marcaram apenas um gol na campanha na África do Sul, contra o Brasil, com o meia Ji Yum Nam. O resultado ficou distante do brilho de 1966, quando a equipe chegou a eliminar a favorita Itália e só perdeu para Portugal nas quartas.