Copa do Brasil

O Vitória defendia a invencibilidade de quatorze jogos no Barradão. Eram onze triunfos e três empates. Do outro lado, o Botafogo não sabia o que era perder uma partida na atual temporada. Dez empates e doze resultados positivos. O confronto entre as duas equipes não poderia dar em outra coisa: empate. Finalistas de seus respectivos estaduais, Vitória e Botafogo empataram em 1 a 1, na noite desta quarta-feira (2), no Barradão, em jogo válido pela rodada de ida das oitavas de finais da Copa do Brasil. Na volta, dia 9, no Engenhão, o rubro-negro baiano precisa de um triunfo para se classificar ou empatar em dois ou mais gols. Qualquer outro resultado significará classificação do alvinegro. Antes disso, o Leão enfrenta o Bahia na decisão do estadual, domingo (6), no Estádio Manoel Barradas.

Foto: Max Haack / Agência Haack

 

Vitória começa bem
Ricardo Silva manteve uma dúvida até minutos antes da bola rolar: Tartá ou Rildo? Escolhido, o primeiro tratou de mostrar serviço ao chefe logo no início. Aos 6, Tartá avançou pelo lado esquerdo e tocou Geovanni, dentro da grande área. O maestro rubro-negro ajeitou de calcanhar para Neto Baiano, que bateu de primeira e obrigou Renan fazer sua primeira intervenção na partida. Primeiro lance de perigo no Barradão. O Vitória era superior nos primeiros quinze minutos quando se tratava da posse de bola. Tanto é que o primeiro ataque carioca só aconteceu aos 16. Após cobrança de escanteio, o sistema defensivo não cortou corretamente e a bola sobrou para Elkeson. O meia, ex-Vitória, cruzou e Maicosuel cabeceou para fora. Aos 19, o Botafogo chegou mais uma vez. Elkeson erro domínio, mas, por sorte do meia, a bola sobrou para Jadson. O volante não pensou duas vezes e soltou uma bomba para boa defesa de Renan.

Elkeson e Neto Baiano marcam
O domínio inicial do rubro-negro baiano não demorou muito tempo. Explorando o lado direito de ataque, nas costas de Wellington Saci, o alvinegro assustou. Aos 22, Lucas foi até a linha de fundo e levantou a bola na grande área. Antônio Carlos apareceu entre os zagueiros e testou por cima da meta. A insistência deu certo. Aos 26, após toque de Felipe Menezes, o lateral Léo, do Vitória, falhou feio ao tentar interceptar o passe e presenteou Herrera. O argentino cruzou e, de cabeça, Elkeson abriu o placar. Como já havia prometido, o meia levantou as mãos e não comemorou. Botafogo 1 a 0. Há um ditado que diz: ‘Alegria de pobre dura pouco’. Ainda que distante da pobreza, o time carioca teve pouco tempo para comemorar. Aos 31, Tartá cruzou na medida para o artilheiro do Brasil, que subiu mais que Antônio Carlos e testou à queima roupa. Tudo igual no Barradão. O ritmo da partida, em termos de oportunidades de gols, caiu um pouco. O Vitória não contava com o apoio dos laterais, enquanto os meias botafoguenses seguiam apagados. Destaque negativo para pouca participação de Maicosuel. Aos 44, Elkeson teve a chance de marcar o segundo gol. Entretanto, a finalização bateu em Victor Ramos. A bola voltou para Maicosuel que acertou em cheio as pernas de Rodrigo.

Vitória peca nas finalizações
O reinício da partida parecia ser uma repetição de imagens do que aconteceu nos primeiros quinze minutos. O Vitória no ataque, mas deixando a desejar na pontaria. Aos 7, Uelliton fez um lindo lançamento e deixou Neto Baiano, como ele gosta, na cara do gol. O atacante tocou por cima de Renan, mas a bola subiu demais e saiu pela linha de fundo. A chuva, que havia caído de leve, resolveu dar o ar da graça no Manoel Barradas. Aos 9, Neto Baiano perdeu outro chance. O camisa 9 chutou de fora e tirou tinta da trave botafoguense. O meia Maicosuel, marcado de perto por Uelliton, foi peça apagada nos primeiros quarenta e cinco minutos. O jeito encontrado pelo treinador Osvaldo de Oliveira foi mudar o posicionamento, colocando o atleta nas costas de Wellington Saci. Deu acerto. Aos 22, Maicosuel disparou pela direita e cruzou para Elkeson. O meia não pegou bem na bola e a finalização pegou na rede pelo lado de fora. O lado esquerdo defensivo do Vitória apresentou inúmeras deficiências. Aos 30, Lucas fintou Saci e rolou para trás. Maicosuel bateu errado e Victor Ramos cortou o perigo. Pouco depois, Ricardo Silva fez dupla alteração: Arthur Maia e Rildo. As mudanças por muito pouco não resultaram na virada do Leão. Aos 34, Rildo recebeu belo lançamento de Arthur Maia, mas demorou demais para chutar e perdeu a bola. O Vitória se lançou ao ataques no minutos finais e deu espaço ao adversário. Aos 43, o atacante William, que havia entrada há poucos instantes, dominou no peito e chutou em cima de Rodrigo. Três minutos depois, Maicosuel finalizou para fora. Foi só.

FICHA TÉCNICA
Vitória x Botafogo
Local: Estádio do Barradão, em Salvador (BA).
Data: Quarta-feira, 2 de maio.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (FIFA/RS)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (FIFA/MG) e Rafael da Silva Alves (CBF/RS).
Gols: Neto Baiano (Vitória) / Elkeson (Botafogo)
Cartões amarelos: Léo, Victor Ramos e Arthur Maia (Vitória) / Maicosuel, Lucas e Jadson (Botafogo)

Vitória: Renan; Léo, Rodrigo, Victor Ramos e Wellington Saci; Uelliton, Michel (Rodrigo Mancha), Pedro Ken e Geovanni (Arthur Maia); Tartá (Rildo) e Neto Baiano. Técnico: Ricardo Silva.
Botafogo: Renan; Lucas, Fábio Ferreira, Antônio Carlos e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Jadson, Elkeson (Caio), Felipe Menezes (Vitinho) e Maicosuel; Herrera (William). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Fonte: Bahia Notícias