Publicidade


Copa do Brasil

O Palmeiras está bem próximo de voltar a soltar o grito de campeão em uma competição nacional após 12 anos. A equipe superou as próprias deficiências técnicas e mostrou oportunismo nas bolas paradas para vencer o Coritiba por 2 a 0, na Arena Barueri, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil.

Foto: Globoesporte.com

 

O resultado coroa uma equipe que é limitada tecnicamente, mas soube aproveitar bem um pênalti e uma falta e se virar sem Barcos, sua principal força ofensiva. O atacante sofreu uma crise de apendicite e foi operado na tarde desta quinta-feira, mas esteve presente na final ao ganhar uma bonita homenagem de Valdivia. O Mago comemorou seu gol como um pirata.

O Verdão volta em grande estilo a uma final nacional após 12 anos, quando venceu a Copa dos Campeões. Agora, pode até perder por um gol de diferença na próxima quarta-feira, em Curitiba, para comemorar. Se balançar as redes, o rival terá que fazer ao menos três gols.

O início do jogo assustou a lotada Arena Barueri. O mando era do Palmeiras, mas quem se sentiu em casa foi o Coritiba. A equipe marcava a saída de bola do rival, roubava a bola na frente e não o deixava jogar. Os visitantes se mostravam mais organizados e aproveitavam os espaços nas costas de Juninho e Arthur.

Com a bola, o Coritiba ainda saía em velocidade e levava bastante perigo à meta de Bruno, mas cansou de perder chances de gol. A mais clara foi aos 7 minutos quando Junior Urso perdeu um gol incrível na cara do goleiro.

Perdido em campo, restava ao Palmeiras confiar em Bruno que evitou ao menos três gols. A equipe corria atrás do Coritiba, batia cabeça e era a prova da desorganização em campo. O Palestra sentia a falta de Henrique, que cumpra suspensão, e sofria com a falha marcação de João Vitor, Márcio Araújo e Marcos Assunção.

Além de estarem mal defensivamente, os volantes não conseguiam fazer a bola chegar a Valdivia e aos atacantes que não prendiam a bola. Depois dos 30 minutos, o Palmeiras até conseguiu equilibrar a partida porque o Coritiba já não tinha mais aquele ímpeto inicial.

E, quando menos se esperava, o time de Felipão teve uma chance de ouro em um pênalti duvidoso após ‘agarra-agarra’ de Jonas e Betinho. Valdivia não desperdicou e fez uma bela homenagem a Barcos comemorando como um pirata.

O segundo tempo até parecia uma repetição do primeiro. O Coritiba ficava no campo de ataque e cercava a área do Palmeiras, mas não conseguia concretizar suas chances. O Palmeiras recuou e seguia sem prender sua bola no ataque. A primeira finalização foi apenas aos 18 minutos.

Mas o dia era mesmo do Verdão. Um minuto depois, Marcos Assunção cobrou falta, a bola desviou na barreira e encontrou a cabeça de Thiago Heleno. O zagueiro só tocou no canto esquerdo de Vanderlei e correu para comemorar.

O clima esquentou no jogo e Valdivia acabou expulso ao levar o segundo cartão amarelo. O Mago está fora da decisão no Paraná. O Coritiba passou a pressionar e ficou com a bola nos pés, mas seguiu com dificuldades para chegar ao gol. O Palmeiras ainda teve duas chances claras, mas o resultado já era suficiente para deixar a torcida bem feliz na Arena Barueri.

Fonte: UOL