Com Felipão, Palmeiras vence Santos

O Palmeiras derrotou o Santos, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, no estádio do Pacaembu, pela oitava rodada da Série A do Campeonato Brasileira e conseguiu começar a Era Felipão com o pé direito.

A vitória levou o time do Verdão ao sétimo lugar, com 12 pontos, subindo seis colocações na tabela. Já o Santos permaneceu em quarto, com a mesma pontuação do adversário, porém, com dois gols a mais.

Começou a Era Felipão
Sem poder contar com o meia Cleiton Xavier que foi negociado ao Metalist da Ucrânia, o treinador do Palmeiras, na noite, Flávio Murtosa, optou pela escalação de Marcos Assunção do lugar do meia. Com isto, o time do Palmeiras perdeu criatividade já que apenas Lincoln jogava no setor de criação.

Com a falta de criatividade do Palmeiras e o Santos jogando sem Paulo Henrique Ganso, seu principal jogador, a partida começou com muitos erros de passes e com os zagueiros levando vantagens nos principais lances de ambos os ataques.

Com os dois times bloqueando o meio-campo, as chances de gol só poderiam acontecer através de jogadas de bola parada e em chutes de fora da área e foi assim que na primeira chance real de gol, o Palmeiras abrir o placar.

Aos 12 minutos, Ewerthon recebeu passe de Lincoln na entrada da área pelo lado esquerdo, limpou o adversário e encheu o pé. A bola encobriu o goleiro Rafael e foi morrer no ângulo direito, sem chances nenhuma de defesa para o jovem goleiro santista.

O gol evidenciou qual seria o esquema de jogo do Palmeiras na partida. Esperar o Santos no campo de defesa e tentar ampliar no contra-ataque. Porém, depois do gol, o Verdão tomou um susto. Madson levantou a bola na área, mas ninguém conseguiu desviar e ela tocou no gramado obrigando Deola a tocar a bola para a linha de fundo.

Depois destes dois lances, as equipes pararam de criar devido ao grande número de passes errados e de faltas pelos dois lados. Porém, o Palmeiras era um pouco melhor com mais posse de bola, circundando a área do adversário, mas sem levar muito perigo.

Segundo tempo
Na segunda etapa, os times voltaram com uma mentalidade mais ofensiva. Nos primeiros dez minutos cada time teve uma chance de marcar e os goleiros trabalharam bem. Primeiro foi o Palmeiras, em tabela entre Lincoln e Kleber, o meia finalizou na pequena área e Rafael, com os pés, evitou o gol. Dois minutos depois, Maranhão arriscou de fora da área e exigiu que Deola se esticasse todo para evitar o gol.

Depois disto a partida deu uma esfriada e os times voltaram a jogar o futebol do primeiro tempo, errando passes e fazendo faltas. Tanto é que só na segunda etapa foram três cartões amarelos.

Que estreia, hein!
Aos 14 minutos, Murtosa colocou Tinga, que fez sua primeira partida com a camisa do Verdão. Com apenas sete minutos em campo, o volante arrancou pela direita e na entrada da área arriscou, a bola desviou em Edu Dracena e enganou o goleiro do Santos Rafael e foi morrer no fundo das redes.

Em desvantagem no placar, o Santos se lançou ao ataque apostando em apenas um jogada as bolas aéreas, já que seus principais jogadores, Neymar e Paulo Henrique Ganso estava apagados na partida.

Aos 37 minutos, a bola aérea funcionou. Wesley levantou a bola para área e zagueiro Léo cortou mal. Bem colocado, o atacante Marcel dominou a bola com a coxa e sem deixar pingar fuzilou o goleiro Deola, marcando um belo gol no Pacaembu. A bola tocou no travessão antes de entrar. O gol deu esperança ao time do Santos, mas não havia tempo para mais nada. A Era Felipão começou como o torcedor queria.

Próximos jogos
Os dois time voltam a jogar no domingo, mas em horários diferentes. Enquanto o Palmeiras enfrenta o Avaí, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, às 16 horas, o Santos encara o Fluminense, na Vila Belmiro, às 18h30.

Ficha técnica

Palmeiras 2 x 1 Santos

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo
Árbitro: Cleber Wellington Abade-SP
Renda: R$ 356.886,00
Público: 9.400 torcedores
Cartões amarelos: Gabriel Silva, Tinga, Edinho (Palmeiras); Neymar, Pará (Santos)
Gols: Ewerthon, aos 12’/1T e Tinga, aos 22’/2T (Palmeiras); Marcel, aos 37’/2T (Santos)

Palmeiras
Deola; Vitor, Léo, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Tinga); Kleber (Tadeu) e Ewerthon (Patrick).
Técnico: Flávio Murtosa

Santos
Rafael; Maranhão, Durval, Edu Dracena e Pará; Arouca, Wesley, Madson (Paulo Henrique Ganso) e Alan Patrick (Zé Eduardo); Neymar (Marcel) e André
Técnico: Dorival Junior