Com dois gols de Kleber, Cruzeiro fica no empate com o Deportivo Italia

Numa noite infeliz de sua defesa, o Cruzeiro perdeu a chance de se igualar ao líder Vélez Sarsfield em seu grupo na Libertadores. Com dois gols de Kleber, que foi expulso no fim da partida, empatou por 2 a 2 com o lanterna Deportivo Italia no Olímpico de Caracas, na Venezuela, e foi a quatro pontos, dois a menos do que os argentinos. O adversário, que havia sido derrotado pelo Colo Colo e pelo próprio Vélez, somou seu primeiro ponto.

Esta foi a terceira vez em três jogos fora de casa que o Cruzeiro tem um expulso. Nas duas anteriores, contra Real Potosí e Vélez, foi Gilberto quem levou cartão vermelho. Após um desempenho irregular nas três primeiras rodadas do Grupo 7, com uma vitória, um empate e uma derrota, o time mineiro confia nas duas próximas partidas, em casa, para se reabilitar na tabela. Os adversários serão o Deportivo Italia e o Vélez nos dias 24 e 31 de março, respectivamente.

O Cruzeiro nem pode se queixar de pressão da torcida. Se na quarta-feira Caracas e Flamengo jogaram em um caldeirão, dessa vez o Olímpico estava vazio, com no máximo mil torcedores.

Se alguém desatento visse os primeiros 20 minutos de partida, diria que o Cruzeiro estava de azul. Atuando com seu uniforme reserva, o time sofreu um branco: a defesa apresentou buracos, o meio-campo permitiu que os adversários tocassem a bola e o ataque ficou isolado. Fábio precisou mostrar serviço logo aos três minutos, quando fez boa defesa em chute rasteiro de Panigutti. O Cruzeiro ainda teve a sua chance de marcar no início, mas Kleber desperdiçou um rebote do goleiro Liebeskind e cabeceou em cima dele.

Mas era o Deportivo Italia que mandava no jogo, e aos 11 minutos veio o gol, que nasceu de um chutão de Liebeskind e terminou com a conclusão de Blanco, livre de marcação, nas costas de Diego Renan. Os donos da casa ainda controlaram as ações por mais um tempo, mas com muito toque de bola e pouca objetividade, incluindo algumas firulas. A essa altura, os gandulas já faziam a sua parte, demorando a devolver a bola.

O Cruzeiro pareceu acordar após uma das raras jogadas com troca de passes, concluída com uma cabeçada de Kleber a gol. A partir daí, aproximou o meio-campo do ataque, chegando na frente com mais jogadores, embora não tenha criado muitas chances de perigo. Numa das poucas, conseguiu o empate, aos 26 minutos. Kleber dividiu o lance com um adversário e chutou, após cobrança de escanteio de Roger e uma saída em falso do goleiro de 1,81m.

O Cruzeiro conseguiu virar o jogo logo no início do segundo tempo, aos cinco minutos. Após ótimo passe de Jonathan, Diego Renan desperdiçou chance na cara do goleiro, mas Kleber, não. Ele bateu com categoria, no contrapé de Liebeskind, e fez 2 a 1. Na comemoração, correu em direção aos poucos torcedores cruzeirenses que só entraram na arquibancada no intervalo.

A partida, que já tivera 20 minutos de intervalo, foi paralisada por mais três por um motivo curioso: o sistema de irrigação começou a funcionar. Quando reiniciou, o Cruzeiro voltou a apresentar falhas na defesa. Adilson Batista ainda tentou resolver os problemas de marcação pela esquerda, trocando Diego Renan por Gil, mas nem deu tempo. Momentos depois da substituição, aos 20 minutos, Blanco invadiu a área por ali e cruzou para McIntosh empatar.

O treinador cruzeirense ainda tentou levar seu time à frente, colocando o atacante Eliandro no lugar de Roger, que teve atuação burocrática. Mas pouco ameaçou e quase levou o terceiro gol aos 38 minutos, quando Fábio saiu nos pés de Blanco. Logo depois, Kleber fez falta dura e recebeu o segundo amarelo, deixando o campo mais cedo.

Fonte: Globo.com