Brasil vence a 2ª no Sub-20

A expectativa era por uma nova exibição de gala de Neymar, mas o atacante teve uma atuação discreta até marcar o terceiro gol na vitória da Seleção Brasileira por 3 a 1 diante da Colômbia, na madrugada desta sexta-feira, no Estádio Jorge Basadre, em Tacna, pelo Sul-Americano Sub-20 do Peru.

O Brasil encontrou dificuldades no primeiro tempo, mas pressionou no começo da segunda etapa até que o são-paulino Casemiro, o melhor do jogo, cabeceasse para o gol aos 9min. Willian José, jogador recém-contratado pelo São Paulo, fez o segundo aos 18min após jogada individual de Lucas. Cardona, de pênalti, diminuiu para a Colômbia, mas Neymar, aos 41min, fez o seu quinto gol no torneio em rápido contra-ataque.

Com dois desfalques e uma opção tática (saída de Oscar), Ney Franco mudou a composição do sistema ofensivo. Com dois atacantes pelas pontas (Neymar e Drogbinha), o Brasil demorou a criar e Willian José pouco aparecia. Após os quatro gols contra o Paraguai, Neymar criou pouco e o flamenguista apareceu mais com jogadas pela direita.

Além de não poder contar com os suspensos Zé Eduardo e Henrique, o Brasil também não teve o técnico Ney Franco, expulso contra o Paraguai, na beira do campo. O treinador assistiu à partida da área vip, enquanto Moacir Pereira, seu auxiliar, comandava o time nos gritos sob orientação de seu chefe.

O resultado deixa o Brasil com seis pontos e a classificação encaminhada para a fase final. Paraguai tem três e Colômbia e Equador somam um. Assim, um empate com a Bolívia, no próximo domingo, às 14h30 (de Brasília), em Moquegua, pode dar a vaga aos brasileiros. A Colômbia folga na rodada e o Grupo B tem como partida de fundo Equador x Paraguai, às 16h40 (de Brasília).

Em um primeiro tempo em que demorou para encaixar o jogo contra a Colômbia, o Brasil criou poucas chances e levou susto em um chute de Cardona. A camisa oito colombiano cobrou falta colocada e, com o goleiro Gabriel batido, a bola acertou o travessão.

O lance mais perigoso da etapa foi o único que realmente assustou o Brasil. Mas Fabián Castillo atormentou a zaga brasileira, puxando ataques rápidos, com dribles, que pecavam pela falta de objetividade.

Do outro lado, Neymar sofria com a marcação colombiana. O atacante pouco apareceu, assim como o centroavante Willian José. Diego Maurício chamou mais o jogo, mas na única oportunidade clara que teve de marcar, em um rápido contra-ataque, aos 39min, bateu por cima do gol.

Neste cenário, Lucas apareceu como jogador mais perigoso do Brasil no primeiro tempo. Além de iniciar as principais jogadas, exigiu boa defesa de Mosquera em um chute forte da grane área aos 17min. Casemiro repetia a média do jogo anterior e comandava a marcação no meio-campo, além de conduzir a bola para o ataque.

No segundo tempo, o Brasil tomou a iniciativa e chegou com perigo por duas vezes entre o terceiro e o quarto minuto. Primeiro Willian José dominou na intermediária e arriscou. A bola explodiu no travessão. No rebote, Lucas deixou Casemiro na cara do gol, mas o volante chutou ao lado de Mosquera.

Mais ligado, Neymar iniciou jogadas e aos 8 min deu passe para Diego Maurício, que viraria assistência se a bola não tivesse ido para fora. Mas, no minuto seguinte, o flamenguista apareceu de novo e cruzou na cabeça de Casemiro, que testou forte para o gol.

O Brasil cresceu na partida e ampliou aos 18min. Lucas fez jogada individual pela direita e cruzou para Willian José, sozinho, completar para o gol. A Colômbia diminuiu em cobrança de pênalti de Cardona, após ele próprio sofrer pênalti. Porém, a reação colombiana parou por aí e ainda deu tempo de Neymar marcar o seu gol, em rápido contra-ataque.

Brasil 3 x 1 Colômbia

Gols

Brasil: Casemiro, aos 10min do segundo tempo, Willian José, aos 17min, e Neymar, aos 41min

Colômbia: Cardona, aos 19min do segundo tempo

Brasil: Gabriel; Danilo (Galhardo), Bruno Uvini, Juan, Alex Sandro; Casemiro (Oscar), Fernando e Lucas; Neymar, Willian José e Diego Maurício (Alan Patrick). Técnico: Ney Franco

Colômbia: Mosquera; Arias, Franco, Saiz e Viáfara; Cabezas, Miguel (Mendoza), Cardona (Ortega) e Calle; Castillo e Escobar. Técnico: Eduardo Lara

Cartões amarelos
Brasil: Juan e Casemiro
Colômbia: Franco, Cabezas e Cardona

Árbitro
Dário Ubriaco (ARG)

Local
Estádio Jorge Basadre, em Tacna (Peru)