Brasil conquista o Mundial Sub-20

Se Mano Menezes ainda não conseguiu encontrar um esquema tático eficiente para a Seleção Brasileira principal, o técnico Ney Franco segue dando um “banho” de como escalar e modificar a Seleção Sub-20 e como forma de coroar este grande trabalho ganhou de Portugal na madrugada deste domingo, por 3 a 2, e foi campeão do Mundial Sub-20 na Colômbia.

Brasil e Portugal fizeram um grande jogo e no final o que acabou valendo foi a noite inspirada que o meia da Seleção Canarinho, Oscar, teve. O atleta, que defende o Internacional, fez os três gols no jogo e foi sem dúvida o melhor jogador deste elenco no campeonato, deixando para trás o apagado Phillipe Coutinho, da Internazionale de Milão-ITA.

O Brasil conquista o seu quinto título do Mundial Sub-20, pois ganhou em 1983, 1985, 1993 e 2003. Já Portugal, tentava sua terceira conquista, já que levou em 1989 e 1991. Aliás, neste último ano Portugal venceu o Brasil na final. Após empate por 0 a 0 no tempo normal e também na prorrogação, os portugueses venceram nas penalidades: 4 a 2.

Jogo movimentado
Os primeiros dez minutos de partida foram movimentados e mostrou aos expectadores desta grande final de que seria um bom jogo. Ainda tocando muito a bola e estudando o adversário, o Brasil achou seu primeiro gol logo aos quatro minutos. Em cobrança de falta de Oscar, a bola passou por toda a área e acabou morrendo no fundo das redes do arqueiro português.

Se tratando de decisão, todo cuidado é pouco e logo em seguida a zaga do Brasil bateu cabeça e Portugal deixou tudo igual. Aos oito minutos, Nelson Oliveira foi lançado nas costas dos beques brasileiros, chegou à linha de fundo e cruzou; Alex entrou na área sem marcação e com tranqüilidade só empurro a bola para o gol. Mal tinha tempo de respirar e aos nove o atacante Willian José acertou chute a trave.

Com o placar em igualdade, os times priorizavam a posse de bola e usavam mais as laterais do campo para criar suas novas jogadas. Sempre discreto, mas eficiente na marcação, Gabriel Silva ficava mais próximo do meio-campo para ajudar na marcação, enquanto que Danilo era mais ofensivo e descia mais para alçar bolas na área lusitana. Numa destas jogadas, o jogador do Porto-POR se livrou da marcação, cruzou e Willian José quase conseguiu cabecear para o gol.

O Brasil era melhor no jogo e aos 28 minutos por pouco não aumentou o marcador de novo com Oscar. O jogador do Internacional de Porto Alegre fez jogada individual e chutou forte, obrigando o goleiro de Portugal, Mika, fazer defesa em dois tempos. Os portugueses, sem muita objetividade, mas tocando bem a bola, não ameaçaram antes de ir para o intervalo.

Mais gols e prorrogação
Os primeiros dez minutos foram sonolentos e nenhuma chance de gol conseguiu ser criado por Brasil e Portugal. Na primeira chegada do time lusitano, o goleiro Gabriel falhou e acabou sofrendo o segundo gol na partida. Nelson Oliveira, aos 12, invadiu a área pela direita e sem ângulo chutou para o gol; a bola passou em baixo do goleirão, que acabou tendo que ir buscar a bola no fundo do gol.

A Seleção Brasileira ficou nervosa em campo e começou a errar muitos passes e fazer faltas desnecessárias. Com Phillipe Coutinho novamente apagado em campo, Dudu entrou em seu lugar e colocou mais velocidade no time. Aos 18 minutos a primeira oportunidade foi construída, quando Negueba recebeu passe e chutou para o gol, porém, a bola desviou no adversário e saiu pela linha de fundo.

Dudu entrou bem e em seu segundo lance foi peça fundamental para o Brasil empatar o jogo. Aos 33 minutos o jogador foi pela lateral esquerda e cruzou na medida para Oscar, tranquilo, fazer o seu segundo na partida.

É campeão
Quando todos esperavam as cobranças de pênaltis, eis que novamente a estrela do meia Oscar brilha e o jogador faz um gol genial. Ais seis minutos do segundo tempo da prorrogação, o jogador pegou o goleiro Mika desprevenido, fez o gol e foi para o abraço: 3 a 2 Brasil.

Ficha Técnica

Brasil 3 x 2 Portugal

Local: Estádio Él Campín, em Bogotá-COL
Data: 20/08/2011
Árbitro: Mark Geiger
Assistentes: Mark Hurd e Joe Fletcher
Cartões amarelos: Henrique (Brasil); Roderick, Pelé, Julio Alves, Saná e Sergio Oliveira (Portugal)
Gols: Oscar aos 4’/1T, aos 33’/2T e aos 6’2T (prorrogação) (Brasil); Alex aos 8’/2T e Nelson Oliveira aos 12’/2T (Portugal)

Brasil
Gabriel; Danilo, Bruno Uvini, Juan e Gabriel Silva (Allan); Fernando, Casemiro, Phillipe Coutinho (Dudu) e Oscar; Willian José (Negueba) e Henrique.
Técnico: Ney Franco

Portugal
Mika; Cedric (Julio Alves), Roderick, Nuno Reis e Mario Rui; Danilo, Pelé, Saná (Ricardo Dias) e Segio Oliveira; Nelson Oliveira e Alex (Caetano).
Técnico: Ilidio Vale