Bahia vence e fica na vice-liderança

Antes do jogo, em clima de festa, a torcida tricolor conheceu os novos uniformes da coleção Nike. Quando a bola rolou, os poucos tricolores que se arriscaram no Estádio de Pituaçu, em meio à greve da Polícia Militar, ganharam mais um motivo para comemorar. Com direito ao primeiro gol do atacante Gabriel como profissional, o Bahia derrotou o Vitória da Conquista, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira (8), e chegou ao quinto triunfo consecutivo. Além da série invicta, o esquadrão manteve o tabu de nunca ter perdido para o Bode, atuando dentro de casa. No próximo domingo (12), sob comando de Falcão, o Bahia enfrenta o Vitória, no principal clássico do futebol baiano.

Mesmo desfalcado, Bahia é só ataque
A lista de desfalques do Bahia, antes do jogo, ganhou dois integrantes. Como se não bastasse as ausências de Coelho, Lulinha e Marcelo Lomba, o técnico interino Eduardo Souza perdeu dois atletas. Hélder, vítima de uma indisposição gastro-intestinal, não reuniu condições de jogo e foi vetado pelo departamento médico. Para completar, o atacante Reinaldo, que seria titular, recebeu uma proposta do futebol chinês e deixou o clube. O Vitória da Conquista entrou bem fechado e determinado em atrapalhar os planos do tricolor, em chegar ao sexto triunfo consecutivo. No entanto, o sistema defensivo do time visitante não conseguiu acompanhar o ritmo do ataque tricolor e sofreu nos primeiros minutos de bola rolando. Aos 5, Morais dominou na entrada da área e chutou para defesa de Rodolfo, na primeira finalização do jogo. O esquadrão continuou em cima. Três minutos depois, Morais recebeu bom lançamento de Titi e ajeitou, de cabeça, para Souza. O camisa 9, ao invés da finalização, optou por driblar o adversário e perdeu a bola. O tempo passava e nada de gols em Pituaçu. O Bahia pecava pela insistência nas jogadas centralizadas, o que facilitava a vida do Conquista, que até então estava preocupado em apenas anular o sistema ofensivo do tricolor. Quando escolheu jogar pela lateral, o Bahia conseguiu criar. Aos 12, Souza saiu da grande área, foi até a linha de fundo e cruzou. O zagueiro Lúcio falhou feio e a bola parou nos pés de Morais, que chutou e viu a bola pegar na trave antes de desviar no pé de Rodolfo e sair pela linha de fundo.

Bahia cresce e Souza marca
A formação de três volantes escolhida pelo treinador Elias Borges deixou o Bahia em apuros. Ciro, muito centralizado, não aparecia muito para o jogo e isso dificultava o setor de criação. Não é à toa que as principais oportunidades do Bahia foram com chutes de fora da área.  Aos 19, Morais arriscou de fora mas a bola subiu demais, sem perigo. O camisa 10 aparecia, tentava sair da marcação, porém, isolado no setor de criação, não conseguia abastecer os atacantes Souza e Ciro. O volante Diones, posicionado como terceiro volante, permanecia sonolento, apagado. Aos 31, Souza saiu para buscar o jogo e quase faz um golaço. O atacante driblou dois zagueiros, entretanto, na hora da finalização, foi desarmado. O artilheiro tricolor estava afim de jogo.  Aos 35, o centroavante rolou de calcanhar para o lateral William Matheus, que foi derrubado dentro da área. Pênalti marcado. Adivinha quem bateu? Souza. O atacante descolocou Rodolfo e marcou o sétimo gol no Campeonato Baiano de 2012, o primeiro do Bahia na partida. A estratégia do Conquista foi por água abaixo. Sem oferecer qualquer perigo, o time visitante só observou os 45 minutos iniciais passar, enquanto o tricolor pressionava. Aos 39, Gabriel arriscou um belo chute, mas a bola desviou no defensor Lúcio e saiu pela linha de fundo.
Bahia faz mais um e tira o pé do acelarador
Na volta para o segundo tempo, Eduardo Souza mudou o time. Colocou Madson no lugar de Fabinho, e Gabriel foi deslocado para o meio de campo. A resposta da alteração foi imediata. Aos 2, o ‘coringa’ fez linda jogada pela direita e recebeu um belo passe de Ciro, dentro da grande área. O camisa 2 chutou forte e marcou seu primeiro gol como profissional do Bahia. O Conquista, mero espectador, só assustou o goleiro Omar, aos 5 minutos. O meia Gil cobrou falta, com muita categoria, e acertou o poste esquerdo. Apesar do susto, o tricolor voltou mais inspirado e dinâmico para o segundo tempo.  De olho no clássico contra o Vitória, no próximo domingo (12), o interino Eduardo Souza resolveu poupar dois titulares. Sacou Morais para entrada de Vander e tirou o artilheiro Souza para estreia do meia-atacante Zé Roberto. As mudanças não surtiram efeito negativo e o esquadrão quase marca o terceiro, em dois lances criados por William Matheus e Ciro. Aos 19, como de costume no Campeonato Baiano, um lance polêmico. O meia Vander foi derrubado pelo goleiro Rodolfo, na grande área, mas o árbitro mandou seguir. A vantagem no placar e a cabeça no Vitória, adversário do próximo domingo (12), em Pituaçu, fizeram os jogadores do Bahia cadenciar o jogo.  O meio de campo tricolor trabalhou com tranquilidade, soube prender a bola e o Conquista, mais que apático, não ofereceu perigo. Na última chance do jogo, em uma boa troca de passes, aos 44, o atacante Ciro teve a oportunidade de marcar o terceiro, mas foi travado por Silvio na hora do chute.
FICHA TÉCNICA
Bahia 2 x 0 Vitória da Conquista
Data: 08/02/2012
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA)
Árbitro: Manoel Nunes Lopo Garrido (CBF)
Auxiliares: Adailton José Jesus da Silva e José Carlos Oliveira dos Santos
Cartão amarelos: Júnior Gaúcho, Éder Caetité, Lúcio Carlinhos (Conquista)
Gols: Souza e Gabriel (Bahia)
Público: 4.808
Renda: R$ 51.510
Bahia: Omar; Gabriel, Rafael Donato, Titi e William Matheus; Fahel, Fabinho (Madson), Diones e Morais (Vander); Ciro e Souza (Zé Roberto). Técnico: Eduardo Souza.
Vitória da Conquista: Rodolfo, Zé Leandro (Átila), Sílvio, Lúcio e Carlinhos (Alemão); Edmar (Éder Caetité), Júnior Gaúcho, Mica e Gil; Maurício Pantera e Roni. Técnico: Elias Borges.