Publicidade


Bahia de Feira vence o Tricolor da capital

Nada para o Bahia da capital. Sonolentos e desorganizados, os comandados de Joel Santana apenas assistiram ao triunfo do Bahia de Feira, por 1 a 0, na tarde deste domingo (22), no Estádio Joia da Princesa. Superior em toda partida, o Tremendão comandou as ações do jogo e venceu o, sem ritmo, tricolor da capital.

Primeiro tempo fraco tecnicamente
Aos 3, o lance parecia replay do primeiro gol marcado pelo Atlético de Alagoinhas, na última quarta-feira (18). O meia Raylan cruzou na grande área e Menezes, de cabeça, acertou o poste esquerdo de Marcelo Lomba. Os primeiros dez minutos de jogo assustaram. Pouca criatividade, campo ruim e os dois times, principalmente o Bahia, desorganizados taticamente. O time da casa tentava explorar a velocidade dos atacantes Carlinhos e João Neto, sem sucesso. Pelo lado tricolor da capital, sem a participação efetiva dos laterais, o meia de campo ficou sobrecarregado. Muito marcados e pouco inspirados, Vander e Morais eram figuras nulas. A coisa estava feia de assistir. Aos 23, Carlinhos tentou mudar a situação. Após boa jogada do lateral Weritinho, o camisa 9 testou por cima da meta de Lomba. Deu 30 minutos e Dionantan, goleiro do Bahia de Feira, continuava um mero espectador do jogo. Fabinho e Fahel, muito próximos da defesa, deixaram visível a falta de compactação do esquema montado por Joel Santana. A desorganização tática somada à falta de ritmo do lateral-direito Boiadeiro permitiam espaços ao Tremendão, que não soube aproveitar. A primeira boa oportunidade do Bahia só aconteceu, aos 41. Gabriel chutou de esquerda e o arqueiro feirense defendeu, sem dificuldades.

Bahia de Feira cresce e marca

A postura do Bahia, no início do segundo tempo, continua a mesma: apática. Sempre pelo lado esquerdo de ataque, o Bahia de Feira assustou. Aos 3, Raylan tocou para Weritinho, dentro da grande área, mas o lateral não alcançou a bola. Os jogadores do Tremendão reclamaram de pênalti, mas Jailson Macedo mandou seguir. No minuto seguinte, Carlinhos chutou cruzado e Titi evitou o primeiro gol. Em jogada individual, Vander proporcionou a primeira boa chance do tricolor da capital. Aos 8, meia disparou, pela direita, e finalizou para boa intervenção de Dionantan. Era muito pouco. A sonolência do esquadrão era irritante, quando Raylan inaugurou o marcador. Aos 11, o camisa 10 deixou Danny Morais na saudade, com um belo drible, depois fintou Marcelo Lomba e tocou para o fundo do gol. Joel fez duas alterações mas não adiantou. A superioridade do time da casa só aumentou. Aos 23, Carlinhos ajeitou no peito e finalizou para grande defesa de Lomba, que impediu o que seria o segundo gol.

Bahia não melhora
João Neto, que não esconde a frustração pelas poucas oportunidades no Bahia, queria a qualquer custo deixar o dele. Aos 28, o atacante invadiu a grande área, mas, na saída de Lomba, tocou muito forte por cima do gol. Com a entrada Reinaldo e Rafael, Joel buscou dar mais ofensividade ao time. Mudanças em vão. A postura confusa da equipe continuou. Aos 36, nas poucas vezes que chegou à meta adversária, Júnior errou. Lulinha cruzou rasteiro, porém, na hora do domínio, o camisa 9 furou e deixou a bola escapar. No último lance do jogo, aos 47, Lulinha cruzou e, sem marcação, Fahel cabeceou por cima do gol. Não havia tempo para mais nada.
FICHA TÉCNICA
Bahia de Feira x Bahia
Data: 22/01/2012
Local: Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana
Árbitro: Jailson Macedo Freitas
Auxiliares: Luiz Carlos Teixeira e Raimundo Carneiro de Oliveira
Gol: Raylan (Bahia de Feira)
Cartões amarelos: Carlos, Menezes, Lau (Bahia de Feira) / Morais,  Fahel, Danny Morais, Júnior (Bahia)
Bahia: Marcelo Lomba, Boiadeiro (Lulinha), Danny Morais, Titi e William Matheus; Fahel, Fabinho, Vander (Rafael), Morais (Reinaldo) e Gabriel; Júnior. Técnico: Joel Santana.
Bahia de Feira: Dionantan, Tiago Granja (Marcus Vinícius), Paulo Paraíba, Menezes e Weritinho; Carlos, Lau, Francisco Jr. e Raylan; Carlinhos e João Neto. Técnico: Arnaldo Lira.