Bahia cede empate no último minuto de jogo

O Bahia perdeu uma grande chance de confirmar a fama de visitante indigesto no Campeonato Brasileiro nesta quinta-feira. Jogando no Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, o Tricolor empatou com Vasco, por 1 a 1, em jogo válido pela 12ª rodada da competição, mas mesmo assim conseguiu deixar a zona de rebaixamento da elite nacional. O estreante Reinaldo fez o gol da vitória logo no começo da partida. No último lance, Élton igualou o marcador.

Com o resultado, o Bahia aumentou o jejum sem vitória agora para seis jogos. Desde o triunfo sobre o Atlético-PR, também fora de casa, foram cinco jogos sendo três empates e duas derrotas. Com isto, o Tricolor assumiu a 16ª posição, com 12 pontos. Enquanto isto, o Vasco perdeu uma posição e agora é o quinto, com 21 pontos.

Primeiro tempo
Um dos visitantes mais indigestos do Brasileirão, o Bahia começou a partida calando a torcida do Vasco. Logo aos quatro minutos, Ávine puxou contra-ataque pelo lado esquerdo, foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro. O atacante Souza domínou, protegeu sobre a marcação e rolou para o lado, onde estava entrando Reinaldo, que só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Atrás no marcador o Vasco partiu para cima do adversário. Aos poucos foi calibrando o pé e levando perigo ao gol defendido por Marcelo Lomba, que fez sua primeira defesa aos 12 minutos. O meia Felipe recebeu na entrada da área, limpou a marcação, invadiu a área pelo lado direito e chutou cruzado. Com as pontas dos dedos, Marcelo Lomba desviou para escanteio.

O tempo foi passando e o Vasco foi dominando completamente a partida. Em menos de um minuto, o ataque vascaíno obrigou Marcelo Lomba a fazer dois milagres. No primeiro, Juninho Pernambucano bateu de fora da área e o goleiro foi no angulo fazer grande defesa. Na segunda, o camisa um parou finalização de Alecsandro, que tentou por cobertura.

No final do primeiro tempo, o Vasco era só ataque e tinha muito mais volume de jogo que o adversário, mas o time seguia errando finalização para desespero dos torcedores vascaínos e festa da torcida baiana, que compareceu em bom número a São Januário.

Segundo tempo
Na volta dos vestiarios, o panorama da partida não mudou nada. O Vasco seguia pressionando o adversário no campo de defesa e se tornava cada vez mais dependente de Juninho Pernambucano já que Diego Souza e Felipe estavam bastante apagados. Por outro lado, o Bahia apostava na velocidade para aumentar o placar.

O tempo foi passando, Ricardo Gomes foi mudando seu time tentando oxigenar o ataque, mas a principal arma do Vasco era Juninho Pernambucano. Aos 20 minutos, o meio-campista aproveitou rebote de sua próprio cobrança de falta e bateu de primeira. A bola ia no angulo, mas Marcelo Lomba se esticou todo e deu um leve toque para a linha de fundo.

Apesar de ser pressionado durante todo o segundo tempo, o Bahia esteve próximo de marcar o segundo gol. Aos 34 minutos, mais uma vez pelo lado esquerdo, Ávine puxou contra-ataque e tocou para Ricardinho. O veterano rolou na medida para Reinaldo, que de frente para o gol, tocou para fora.

Quando tudo parecia que havia acabou o Vasco resolveu empatar. Aos 48 minutos, Juninho cobrou falta em direção à área, Marcelo Lomba se chocou com Dedé, mas fez o corte. Porém, a bola sobrou para Bernardo que tocou de cebeça. Em cima da linha, Élton desviou e empatou a partida, no apagar das luzes.

Próximos jogos
O Vasco volta a campo contra o São Paulo no próximo domingo, às 16 horas, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. No mesmo dia, porém, às 18h30, o Bahia recebe o Figueirense, no Estádio do Pituaçu, em Salvador.

Local
Estádio São Januário, no Rio de Janeiro

Árbitro
Sandro Meia Ricci

Assistentes
Roberto Braatz e César Augusto de Oliveira Vaz

Cartões Amarelos
Vasco da Gama:Dedé, Márcio Careca
Bahia:Marcone, Lulinha, Marcelo Lomba

Cartões Vermelhos
Vasco da Gama:Márcio Careca

Gols
Vasco da Gama: Elton 48′ 2T
Bahia: Reinaldo 4′ 1T

Vasco da Gama

Fernando Prass;
Fagner, Anderson Martins, Dedé e Márceio Careca;
Rômulo, Juninho Pernambucano, Diego Souza (Bernardo) e Felipe (Leandro);
Éder Luis e Alecsandro (Élton);

Técnico: Ricardo Gomes

Bahia

Marcelo Lomba;
Marcos, Titi, Paulo Miranda e Ávine;
Hélder (Ricardinho), Marcone, Fabinho e Lulinha (Gabriel);
Reinaldo (Jones) e Souza;

Técnico: Renê Simões