Publicidade


Artilheiro do Bahia no ano, Kieza revela que tem jogado no sacrifício e teria que parar por um tempo para tratar a lesão

Engana-se quem pensa que as dores no púbis abandonaram o artilheiro do Bahia em 2015. Embora esteja atuando, marcando gols e se destacando como o principal jogador do time em praticamente todos os jogos, Kieza não está livre do incômodo que o deixou de molho por algum tempo nesta Série B.

Em entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira, após o treinamento realizado no estádio de Pituaçu, o atacante tricolor revelou que tem jogado no sacrifício. Mais do que isso: para se recuperar completamente, ele teria que parar por um tempo, o que está fora de cogitação faltando dez rodadas para o fim da Série B.

– Eu venho fazendo tratamento já há muito tempo. Quando tem semana cheia, a gente tem mais dias para descansar, para procurar fazer tratamento adequado, porque a gente não está tendo muito tempo. Na realidade, eu teria que parar, mas, com a competição, a gente não pode. Não sou só eu que venho jogando machucado, com dor. Acho que o restante da equipe, muitos jogadores têm dor, mas a gente passou por cima de tudo. A gente espera voltar a jogar bem, porque é nisso que a gente vem pecando mais, ficando triste com as atuações. Mas a gente quer fazer um grande jogo e sair com um resultado positivo – afirma o K-9.

Com ou sem dor, Kieza estará em campo neste sábado, quando o Bahia recebe o Vitória na Arena Fonte Nova, jogo válido pela 29ª rodada da Série B. Caso marque o primeiro gol do Tricolor no confronto, o atacante alcançará uma nova marca: será o gol 100 do clube na temporada.

Durante a semana, Roger deu entrevista e declarou que gostaria que fosse Kieza o responsável pelo feito. O artilheiro agradeceu, mas deixou claro que o mais importante são os três pontos.

– Agradeço ao Roger pelo carinho, por ter falado isso. Se o Douglas sair lá de trás e fizer o gol, para mim pouco importa. É uma marca boa, que fica em nossa carreira, boa. Mas o que quero é ganhar o jogo. Quero é fazer os três pontos, não importa quem faça o gol. E a gente sair com o resultado positivo – diz.
(Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)