Alemanha brilha, Gana e Eslovênia vencem

A Alemanha derrotou a Austrália, por 4 a 0, na tarde deste domingo, no Durban Stadium, em Durban, pela primeira rodada do Grupo D e conseguiu a maior goleada na primeira rodada da competição até agora.

O resultado deixou a Alemanha na liderança do Grupo D pelo critério de saldo de gols, pois a seleção de Gana também conseguiu vencer na manhã deste domingo, mas pela contagem mínima de 1 a 0. Já a Austrália é a lanterna da chave.

O jogo
Com sua seleção mais jovem na história das Copas do Mundo, a seleção alemã começou a partida um pouco nervosa e logo aos três minutos sofreu um susto do time australiano. Depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou para Garcia dentro da pequena área, mas o atacante do Hull City chutou em cima do goleiro alemão Neuer.

A chance de gol parece ter acordado o jovem time, que logo em seguida conseguiu abrir o placar. Aos oito minutos, Lahn, que ganhou a braçadeira de capitão de Ballack, fez linda jogada pelo lado direito e cruzou rasteiro. O cruzamento passou pelo atacante Klose, mas não por Podolski, que encheu o pé, a bola chegou a tocar no goleiro antes de entrar.

Mais tranquilos com o gol, os alemães resolveram adiantar a marcação e dificultaram a saída de bola do adversário. O maestro do time alemão era o jogador do Werden Bremem, Ozil, que sempre que relava na bola criava alguma chance de perigo.

Foi assim no lance do segundo gol alemão. Aos 26 minutos, Ozil lançou Lahn pelo lado direito. O lateral cruzou na cabeça de Klose. O atacante, ainda, contou com uma falha de Schwazer que não conseguiu cortar o cruzamento antes de testar para o fundo das redes.

O segundo gol da Alemanha desnorteou o time australiano, que passou a assistir o time alemão tocar a bola e chegar cada vez mais perto do gol. Por duas vezes antes do final do primeiro tempo, os alemães poderiam ter ampliado o placar. Primeiro em cabeçada de Khedira depois em toque de Ozil, que a defesa australiana tirou em cima da linha.

Trem alemão
No início do segundo tempo quem tomou conta do jogo foi o nervosismo do time australiano. Tanto que no primeiro lance da volta dos vestiários, o Neill fez falta dura e recebeu cartão amarelo.

O time australiano continuava a fazer faltas duras e não demoraria para o time da Oceania ficar com um jogador a menos. Aos onze minutos, Cahill deu um carrinho por trás em Schweinsteiger e foi expulso pelo árbitro mexicano, Marco Rodriguez.

Com um jogador a mais e maior posse de bola, o time alemão comandava completamente a partida. Por duas vezes, Klose teve a oportunidade de ampliar o marcador, mas a bola acabou sempre indo para a linha de fundo.

Primeiro gol brasileiro
Controlando a partida, em dois minutos a Alemanha conseguiu dobrar o marcador. O primeiro gol veio aos 23 minutos. O meia Muller recebeu na entrada da área, deu um corte lindo no zagueiro australiano e tocou no canto direito do goleiro Schwazer, a bola tocou na trave antes de entrar.

Dois minutos depois foi a vez do brasileiro naturalizado alemão deixar o seu. Cacau aproveitou cruzamento rasteiro de Ozil e tocou firme para o fundo das redes para marcar o primeiro gol brasileiro na Copa de 2010.

Com o placar definido, o treinador alemão Joachim Low resolveu poupar seus principais jogadores. Já os australianos não conseguiam encaixar uma troca de passes e ficaram torcendo para o adversário diminuir o ritmo para não sofrerem uma goleada histórica.

Próximos jogos
A seleção alemã volta a campo no próximo dia 18, sexta-feira, às 8h30, contra a Sérvia, em Port Elizabeth. Já a Austrália joga no mesmo horário, porém no sábado, dia 19, contra Gana, em Rustenburgo.

Ficha Técnica

Alemanha 4 x 0 Austrália

Local: Durban Stadium, em Durban
Árbitro: Marco Rodriguez (MEX)
Cartões amarelos: Ozil, Cacau (Alemanha); Craig Moore, Lucas Neill, Carl Valeri (Austrália)
Cartão vermelho: Tim Cahill (Austrália)
Gols: Lucas Podolski, aos 7’/1T,  Klose, aos 26’/1T, Muller, aos 22’/T e Cacau, aos 25’/2T (Alemanha)

Alemanha
Neuer; Lahn, Mertesacker, Friedrich e Badstuber; Khedira, Schweinsteiger, Muller e Ozil (Mario Gómez); Podolski (Marin) e Klose (Cacau)
Técnico: Joachim Low

Austrália
Schwarzer; Wilkshire, Lucas Neill, Craig Moore e Chipperfield; Vince Grella (Holman), Culina, Carl Valeri e Emerton (Jedinak); Tim Cahill e Richard Garcia (Rukavytsya)
Técnico: Pim Verbeek

—————————————–

A seleção de Gana conquistou a primeira vitória de uma seleção africana na Copa do Mundo 2010 ao bater a Sérvia por 1 a 0, neste domingo, no Estádiono Loftus Versfeld, em Petrória. Com um gol marcado de pênalti, no final da partida, depois de um erro grave do zagueiro sérvio, Gana somou três pontos e levou a torcida africana ao delírio.

A partida começou ofensiva, com 1 minuto de jogo Pantelic arriscou na tentativa de surprendeer o goleiro Richard Kingson, da seleção de Gana. Na sequência o time africano respondeu e, aos 2, depois de um cruzamento, a bola sobrou para Annan, que mandou por cima do gol.

A Sérvia passou a cometer alguns erros primários nos primeiros 15 minutos. Na cobrança de lateral, aos 6, o sérvio tentou lançar a bola dentro da área adversária, mas os ganeses afastaram sem dificuldade. Na seqüência da jogado, os sérvios tentam uma jogada ensaiada e erram o cruzamento.

A seleção de Gana buscou sair para o jogo e teve uma boa chance, aos 11, com Asamoah, que arriscou jogada individual pelo meio e caiu pedindo falta, o arbitro nada marcou.

Equilíbrio
O jogo seguiu disputado, as duas seleções buscavam o gol e quem teve a oportunidade foi a Sérvia. Em boa jogada, aos 21, Boateng se livrou da marcação pela esquerda e cruzou. O goleiro Stojkovic, bem em jogo, saiu da sua meta e cortou o ataque adversário.

Com uma postura mais ofensiva em campo, a Gana passou a atacar mais, no entanto, as finalizações não colaboraram com a equipe. A Sérvia também criava algumas jogadas de contra-ataque. Depois de cobrança de falta, aos 27, Pantelic não dominou dentro da área e perdeu mais uma chance em mais uma das jogadas ensaiadas da seleção sérvia.

Passado 30 minutos da partida, nenhuma das seleções acertou um chute no gol. A seleção de Gana buscou passes curtos e, aos 32, chegam ao cruzamento, depois de uma troca de passes desde o meio-campo, mas a zaga tira com facilidade. Após chutão da defesa sérvia, a bola sobra para Zigic, mas o goleiro se antecipou e impediu a conclusão do ataque.

Ambas as equipes seguiram sem aproveitar as oportunidades de gol. Os africanos são mais dinâmicos no jogo e arriscam mais, no entanto, sem sucesso. Enquanto isso, a Sérvia buscou se fechar no setor defensivo e atacou muito pouco.

No final da primeira etapa, aos 44, Ayew cruzou com perigo e a bola passou com perigo frente ao gol de Stojkovic, que permaneceu parado, no entanto, ninguém de Gana aproveitou.

Etapa final
No segundo tempo, a seleção de Gana volta com mesma postura e continuou pressionando os sérvios. E, logo aos 8, Tagoe cruzou na medida para Aywen, que passou por trás dos zagueiros para cabecear livre de marcação e desperdiçar a melhor chance da partida.
serviaxgana_0003_270x170.jpg
A Sérvia também mostrou seu poder ofensivo, mas o atacante Zigic não colaborou. Aos 13, Pantelic cruzou em direção ao atacante, que não dominou dentro da área e perdeu mais uma chance de abrir o placar.

A seleção de Gana passou a ter menos domínio de bola, 48% contra 52 do rival, mas aproveita melhor as jogadas no ataque. Aos 26, Boateng arrancou pelo meio e se aproximou da área da Sérvia. Porem, antes disso, trombou com Lukovic e o juiz marcou falta do jogador de Gana.

Expulso!
Aos 29, a Servie perdeu um de seus jogadores. Lukovic cometeu falta no meio-campo e recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo.

Com um a mais em campo não é a seleção de Gana que teve as mellhores oportunidades. Depois de ficar em desvantagem, a Sérvia cresceu no jogo e teve a melhor oportunidade de toda a partida. Depois do furo de Pantelic dentro da área, Krasic pegou de primeira e mandou uma bomba, mas o goleiro Kingson faz grande defesa.
serviaxgana_0004_270x150.jpg
Melhor em campo, nos momentos finais, a Sérvia leva um banho de água fria. Após cruzamento despretensioso, o zagueiro Kuzmanovic cometeu um erro grave ao tenatr cortar uma bola sem perigo com a mão e o juiz marcou pênalti. Na cobrança, aos 39, Gyan bateu firme e fez o gol da vitória.

Próximos jogos
Na segunda rodada do Grupo D, a Sérvia enfrenta a seleção da Alemanha no Estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth, às 8h30 do horário de Brasília, na próxima sexta-feira. Já a seleção de Gana enfrenta a Austrália no Estádio Royal Bafokeng, Rustenburg, as 8h30, no sábado.

Ficha Técnica

Sérvia 0 x 1 Gana
Local: Estádio Loftus Versfeld, em Petrória – África do Sul
Árbitro: Hector Baldassi-ARG
Cartões Amarelos: Kuzmanovic e Zigic (Sérvia); Vorsah e Tagoe (Gana)
Cartões Vermelhos: Aleksandar Lukovic (Sérvia)
Gol:Gyan (pênalti) 39’/2T

Sérvia
Vladimir Stojkovic; Branislav Ivanovic, Nemanja Vidic, Aleksandar Lukovic e Ivan Obradovic; Milos Krasic, Dejan Stankovic, Nenad Milijas (Kuzmanovic) e Milan Jovanovic (Subotic); Nikola Zigic (Lazovic) e Marko Pantelic.
Técnico: Radomir Antic

Gana
Richard Kingson; Samuel Inkoom, John Mensah, Isaac Vorsah e John Pantsil; Derek Boateng, Kevin-Prince Boateng (Addy), Kwadwo Asamoah (Stephen Appiah) e Sulley Muntari; Abeyie (Gyan) e Prince Tagoe.
Técnico: Milovan Rajevac

—————————————-

Argélia 0 x 1 Eslovênia

Em uma partida que parecia que terminaria no 0 a 0, a seleção da Eslovênia aproveitou a falha do goleiro Faouzi Chaouchi, da Argélia, e conseguiu a primeira vitória do país em uma Copa do Mundo. A partida aconteceu neste domingo no Estádio Peter Mokaba Stadium, em Polokwane, na África do Sul, pela primeira rodada do Grupo C. Com resultado de 1 a 0, os eslovenos alcançaram a primeira colocação do grupo e dá um ótimo passo rumo à classificação.

A Eslovênia aproveitou o empate entre Inglaterra e Estudos Unidos e os somou primeiros três pontos do Grupo C. Com isso, a seleção está próxima a conseguir sua inédita classificação para a próxima fase da competição.

Em um jogo sem entusiasmo, as duas seleções trouxeram a campo jogadores estreantes em Copa do Mundo. Resultado disso, um jogo nervoso onde as duas equipes atacavam de forma cadenciada.

Quase!
O jogo começou de forma imprevisível. Logo aos 3 minutos de jogo a Argélia por pouco não abriu o placar. O camisa 3 Belhadj cobrou falta e a Jabulani mostrou para que veio:“dar trabalho aos goleiros”. Na cobrança, a bola pegou um efeito “venenoso” e quase enganou o goleiro Handanovic que espalmou para fora.

A Eslovênia, depois de ser pressionada pelos argelianos, nos primeiros 15 min., conseguiu equilibrar a partida e criou sua primeira jogada de ataque. Após tabela, Kirm recebeu na linha de fundo e cruzou. Bem colocado, Chaouchi saiu do gol e cortou o cruzamento do rival.

Os eslovenos, aproveitando a alta estatura, exploram as jogadas aéreas, porem, a falta de qualidade nas finalizações não ameaçavam a meta do gol argeliano.

A Argélia se armou para jogar nos contra-ataques. Aos 28, o setor defensivo argeliano conseguiu cortar o frágil ataque da Eslovênia e rapidamente ligou o ataque. Matmour se livrou da marcação no meio-campo e passou para Kadir, que cruzou, mas bateu muito forte e a bola passou sem levar perigo ao goleiro Handanovic.

A Eslovênia, aos 33, criou sua melhor jogada de ataque. O atacante Dedic recebeu a bola na entrada área e avançou em velocidade, no entanto, o eslovenio se esbarrou na falta de qualidade técnica de seu ataque. No memento da finalização, o atacante escorregou e foi facilmente desarmado.

O lance de perigo despertou o time argeliano. Aos 35, em resposta aos adversários, depois de um cruzamento preciso, o defensor Halliche sobiu livre próximo à pequena área, mas errou o cabeceio e mandou a bola pela linha de fundo.

Pressão
A Argélia cresceu no jogo e passou a pressionar mais os adversários. Isso despertou as barulhentas Vuvuzelas que estava tímida durante o início da partida. Ao ritmo tradicional africano, ambas as equipes melhoram nos momentos finais da primeira etapa e sairam mais para o jogo.

O lateral Belhadj foi quem arriscou mais nas jogadas de ataque de sua equipe. Aos 39, em uma boa jogada individual, ao se livrar de dois marcadores armou bom ataque, mas exagerou e acabou perdendo a bola.

Resposta
A Eslovênia teve duas grandes chances de abrir o placar. O camisa 10 Birsa, aos 42, recebeu a bola na entrada da área, girou sobre a marcação e bateu pro gol, mas Chaouchi, bem posicionado, defendeu e mandou pra escanteio. Aos 45, Birsa driblou dois adversários e arriscou de muito longe, mas o chute saiu fraco e não levou perigo pro goleiro.

argeliaxeslovenia_0002_180.jpgDepois do intervalo
No segundo tempo, o jogo seguiu equilibrado. As equipes, sem muita qualidade técnica, não criavam muitas chances de gol e, quando isso acontecia, tudo não passava de chutes fracos ou para longe do gol.

Show de gols perdidos
Com 5 minutos, Djebbour recebeu cruzamento dentro da área, mas falhou no domínio e a bola se perdeu pela linha de fundo. A Argélia seguiu em busca do gol, aos 6, Ziani recebeu na entrada da aérea e arriscou de esquerda, mas  a bola passou longe do gol. Parecia um show de gols perdidos, aos 10, Yebda recebeu na intermediaria e arriscou de longe e, mais uma vez, não levou perigo para o goleiro Handanovic.

A Eslovênia teve sua grande chance desperdiçada aos 15. Depois de trabalhar bem a jogada até o setor de ataque, Kirm bateu de direita dentro da área, mas Chauchi fez uma ótima defesa.

Apatia em campo
Nessa altura do jogo, pouco se ouvia o som das vuvuzelas. As jogadas mais agressivas da Argélia eram criadas pelo setor esquerdo com Belhadj. Aos 24, em uma arrancada forte em direção à grande área, o lateral bateu forte, mas a Jabulani explodiu no zagueiro.

A Eslovênia ficou acuada, com isso, a Argélia cresceu no jogo e parte para cima dos adversários. Os argelianos arriscaram nas jogadas áreas e se empolgaram até demais. O atacante Ghezzal, que havia acabado de entrar do em campo, tenta ludibriar o juiz e levou o técnico Rabah Saadane a se arrepender de tê-lo colocado em campo.

Depois de ter agarrado a camisa do jogador esloveno, aos 14. Atitude que lhe rendeu um cartão amarelo, Ghezzal se arriscou. Pendurado, o jogador não se deu conta do perigo e tentou uma jogada a la Maradona. Depois de um cruzamento, aos 37, o jogador subiu de cabeça e, com a mão, mudou a trajetoria da bola e recebeu o segundo amarelo, consequência disso, foi expulso de campo.

Com um a mais em campo a Eslovênia cresceu na partida e saiu para o jogo. Aos 33, Koren dominou a bola na entrada da área e limpou a marcação e bateu de direita. O goleiro Chauchi, que tanto trabalhou no primeiro tempo, falhou e aceitou o chute no canto esquerdo.

Depois do gol, a Eslovênia se fechou e garantiu sua primeira vitória em uma Copa do Mundo. A Argélia, sem criatividade, não conseguiu superar a retranca adversária e ficou sem marcar.

Próximos jogos
Na sequência da fase de grupos do Mundial, a Eslovênia enfrenta os Estados Unidos no Estádio Ellis Park, em Johanesburgo, na próxima sexta-feira, às 11 horas. No mesmo dia a Argélia enfrenta a Inglaterra no Estádio Cape Town, na Cidade do Cabo, às 15h30, encerrando assim a segunda rodada do Grupo C.

Ficha Técnica

Argélia 0 x 1 Eslovênia
Local: Estádio Peter Mokaba Stadium, em Polokwane
Árbitro: Carlos Batres (Guatemala)
Cartões Amarelo: Aleksander Radosavljevic e Andrej Komac (Eslovênia). Hassan Yebda (Argélia).
Cartões Vermelho: Ghezzal (Argélia)
Gols: Koren 33’/2T

Argélia
Chaouchi; Rafik Halliche, Bougherra, Yahia, e Belhadj; Mehdi Lacen,  Hassan Yebda e Ziani e Matmour (Rafik Saifi ); Foued Kadir (Adlène Guedioura) e Rafik Djebbour (Abdelkader Ghezzal).
Técnico: Rabah Saadane

Eslovênia
Handanovic; Brecko, Cesar, Suler e Jokic; Robert Koren, Aleksander (Andrej Komac), Valter Birsa (Nejc Pecnik) e Kirm; Dedic (Zlatan Ljubijankic) e Novakovic
Técnico: Matjas Kek