Uruguai e Gana, confronto inédito

Uruguai e Gana, pouco cotados a irem longe nesta Copa antes e no início do Mundial, fazem o duelo das “surpresas” pelas quartas de final. A Celeste, que não figurava entre as oito melhores seleções há 40 anos, sonha com o terceiro título mundial.

O adversário, Gana, é o único remanescente africano na Copa-2010. Em seu segundo Mundial (em 2006 perdeu para o Brasil nas oitavas), a seleção comandada pelo sérvio Milovan Rajevac é a terceira seleção africana a chegar nas quartas. O objetivo, ir além. Se chegar à semifinal, Gana vai superar as campanhas de Camarões (1990) e Senegal (2002), eliminados nesta mesma fase.

O objetivo do técnico uruguaio Oscar Tabárez é que sua equipe não fique confiante demais para não subestimar os adversários. Para ele, é importante que nenhum jogador do elenco pense que a classificação esteja garantida, apenas por causa da moral que o time acumula com a boa campanha no Mundial.

Tabárez está ciente sobre a euforia dos torcedores, mas não se esquece de algumas coisas do jogo contra a Coreia do Sul nas oitavas de final que devem melhorar, para vencer uma equipe veloz, forte e imprevisível como é Gana.

Dois dias antes do jogo das quartas, o técnico do Uruguai já anunciou a escalação para a partida com novidades, uma de caráter tático – a entrada de Álvaro Fernández no lugar de xará Álvaro Pereira – e outra condicionada pelo estado físico de Godín, que será substituído por Victorino, como ocorreu no último jogo.

Os demais jogadores estão à disposição do técnico e a seleção vive um momento de sossego e de confiança com suas chances, mas também está ciente de que a equipe africana dará trabalho.

A seleção de Gana, por sua vez, vive um ambiente tranquilo, pelo menos pelo que se deduz das palavras do capitão Sthepen Appiah, segundo quem a equipe passa o dia “cantando, dançando e sorrindo”.

Milovan Rajevac, técnico sérvio que comanda Gana, não deve fazer grandes mudanças no time após os bons resultados conseguidos pelos jogadores tanto na fase de grupos como nas oitavas de final contra os Estados Unidos. No entanto, ele deverá introduzir alguma novidade na escalação por causa das baixas por suspensão.

Um dos desfalques do time é o jovem Jonathan Mensah, que com 19 anos se tornou um importante homem do setor defensivo da equipe. A outra baixa é André Ayew, de 20 anos, peça chave do meio de campo ganense.

A torcida deve ficar majoritariamente a favor de Gana, a única equipe africana ainda viva na Copa. Tudo indica que será um jogo ao som das vuvuzelas.

URUGUAI X GANA
Estádio: Soccer City, em Johannesburgo (AFS).
Data/hora: 2/7/2010, às 15h30 (de Brasília).

URUGUAI:
Muslera, Maxi Pereira, Lugano, Victorino e Fucile; Álvaro Fernández, Diego Pérez e Arévalo; Cavani, Forlán e Suárez.
Técnico: Óscar Tabárez.

GANA: Kingson, Inkoom, Pantsil, John Mensah e Sarpei; Annan, Appiah e Asamoah; Tagoe, Prince Boateng e Gyan.
Técnico: Milovan Rajevac.