Finalmente Bahia vence em Pituaçu, 3 a 1 no Figueirense

Finalmente a maré de azar deixou Salvador. Atuando diante de quase 15 mil pessoas, o Bahia bateu o Figueirense, por 2 a 1, no Estádio do Pituaçu, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time baiano não vencia há seis partidas e o último resultado positivo foi diante do Atlético-PR, por 3 a 1, fora de casa, no dia 25 de junho.

Com o fim do jejum, o Tricolor baiano chegou aos 15 pontos e subiu para o 13ª lugar, aparecendo na zona de classificação para a Copa Sul-Americana e se distanciando da zona de rebaixamento. Enquanto isso, o Figueira tem um ponto a mais e figura em 12ª lugar. O time catarinense não sabe o que é vencer há seis partidas.

Artilheiro salva Tricolor
Sem saber o que é vencer há seis partidas, o Bahia começou em cima tentando acabar com esse longo jejum e a primeira oportunidade foi logo aos três minutos. Ricardinho cobrou escanteio para dentro da área e o zagueiro Titi mandou pela linha de fundo. O Figueirense estava bem postado no sistema defensivo e não dava espaços para os atacantes adversários. Aos dez minutos, o time visitante arriscou sua primeira finalização. De longa ditância, Elias bateu e mandou para fora.

Jogador mais habilidoso do Tricolor, o meia Carlos Alberto abusava das jogadas individuais e aos 19 minutos deixou dois marcadores para trás, mas na hora da finalização pegou errado e facilitou a defesa de Wilson. Na sequência, Júlio César arriscou de longa distância e obrigou Marcelo Lomba a fazer uma defesa em dois tempos. O Bahia teve mais uma boa oportunidade em lance de bola parada. Paulo Miranda aproveitou cruzamento de Ricardinho e cabeceou para grande defesa do número 1 alvinegro.

Insatisfeita com o comportamento dos jogadores, a torcida do Bahia passou a vaiar e pedir um pouco mais de vontade. Apostando no contra-ataque, o Figueira assustou aos 34. Wellington aproveitou cruzamento e desviou de cabeça para defesa de Marcelo Lomba. O Bahia criou uma boa oportunidade com Jóbson. O atacante ganhou a dividida de um zagueiro, ajeitou e bateu com força. Wilson saltou bem e mandou para escanteio. Quando o primeiro tempo parecia que ia terminar zerado, o Tricolor baiano balançou as redes.

Ávine ficou com a sobra e bateu rasteiro. A bola ia pela linha de fundo, mas Reinaldo apareceu no meio do caminho, dominou e bateu rasteiro. O goleiro Wilson tentou, mas não conseguiu fazer a defesa para alegria dos torcedores baianos. Na sequência, Júlio César teve a oportunidade de deixar tudo igual, mas pegou mal e Ávine aliviou o perigo.

Quem não faz toma
Abusando das faltas, o Bahia minava o ataque do Figueirense, que arriscou seu primeiro chute aos quatro minutos, quando Elias tentou cobrar falta direto e “recuou” para Marcelo Lomba. Na sequência, o Bahia avançou com velocidade e Reinaldo ia deixando Jobson na cara do gol, mas Marcelo Lomba antecipou o lance e ficou com a bola. O Tricolor baiano quase ampliou aos dez minutos.

A zaga do Figueirense falhou e a bola sobrou para Jobson, que encontrou Reinaldo. O experiente atacante dominou, mas na hora da finalização pegou mal e mandou a bola na arquibancada. O time catarinense abusava dos chutes de longa distância, mas não conseguia acertar o gol. Atrás do marcador, o Figueira partiu com tudo em busca pelo menos do empate, mas esbarrava em Marcelo Lomba.

Aos 22 minutos, Elias arriscou de longa distância e o goleiro tricolor fez tranquila defesa. Depois foi a fez de Wellington assustar, mas a cabeçada do atacante saiu por cima do gol. Quando o Figueira era melhor, o Bahia fez questão de jogar um balde de água fria e marcou o segundo. Ricardinho deu um grande lançamento para dentro da área e Ávine apareceu como elemento surpresa, apenas desviando de cabeça e tirando do alcance do goleiro adversário.

Mas o Figueirense não desanimou com o gol sofrido e continuou em cima. Aos 38, Juninho bateu cruzado e Héber apareceu com muita velocidade desviando. A bola carimbou o travessão. No minuto seguinte, o atacante chutou para boa defesa de Marcelo Lomba. No rebote, Wellington teve apenas o trabalho de estufar as redes. No entanto, o Bahia fechou o caixão no contra-ataque. Ricardinho deu mais um grande lançamento, dessa vez para Jones. O atacante invadiu a área e bateu na saída do goleiro.

Próximos jogos
O Bahia volta a campo pela 14ª rodada do Brasileirão na próxima quinta-feira, quando enfrenta o São Paulo, em pleno Morumbi. Enquanto isso, o Figueirense tenta manter sua invencibilidade jogando em casa e recebe o Botafogo, no sábado, às 19h30, no Orlando Scarpelli.

Local
Estádio Pituaçu, em Salvador

Árbitro
Luiz Flávio de Oliveira-SP

Assistentes
João B. Nobre Chaves-SP e Herman Brumel Vani-SP

Cartões Amarelos
Bahia:Paulo Miranda
Figueirense:Tulio

Gols
Bahia: Reinaldo 42′ 1T, Ávine 26′ 1T, Jones 46′ 2T
Figueirense: Wellington 39′ 2T

Bahia

Marcelo Lomba;
Marcos (Fabinho), Titi, Paulo Miranda e Ávine;
Marcone, Fahel, Ricardinho e Carlos Alberto (Gabriel);
Jobson e Reinaldo (Jones).

Técnico: Renê Simões

Figueirense

Wilson;
Coutinho, João Paulo, Edson Silva e Juninho;
Ygor, Túlio, Wilson Pittoni (Helder) e Elias;
Aloísio (Wellington) e Julio Cesar (Heber).

Técnico: Jorginho