Depois de marcar contra o Avaí, Arthur Caíke briga por vaga no ataque: “É uma oportunidade”

O gol salvador marcado contra o CSA, no último sábado, deu fôlego novo a Arthur Caíke na briga por mais minutos na equipe de Roger Machado. Depois de viver altos e baixos no Bahia, ele entrou no segundo tempo da partida e marcou um belo gol de falta, garantindo a 7ª colocação na tabela, bem próximo ao G-6.

E a chance de voltar a atuar como titular pode aparecer já na próxima rodada. Como o jovem Artur se apresentou à Seleção Sub-23, ele e Élber são os principais postulantes a uma vaga no ataque, ao lado de Lucca e Gilberto.

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira, no Fazendão, Arthur Caíke falou sobre a possibilidade de começar jogando contra o Vasco.

“É uma oportunidade. Tem o Élber, que está entrando muito bem. Oportunidade para nós dois. Um dos dois, quem Roger utilizar no jogo… Tem o Marco Antônio, que está treinando muito bem. Quem o Roger optar, o Bahia vai estar bem servido, enquanto Artur está na Seleção. Quem entrar vai estar preparado para fazer o melhor”, disse.

– Feliz em voltar a marcar. Sempre procuro dar o meu melhor nos treinamentos, nos jogos. Aconteceu a expulsão contra o Cruzeiro, duas faltas que acabei fazendo no jogo. No meu modo de ver, acho que o árbitro foi até rigoroso ali comigo, no primeiro cartão. No segundo, nem tanto. Mas pude manter meu treinamento. Roger conversou, o grupo todo passando confiança; nos jogos que entrei, pude ajudar, contra o Palmeiras, Goiás… Nunca me deixei sentir essa expulsão. Sempre que o Roger precisou, desde que voltei da expulsão, dando meu melhor sempre. No último jogo, acabei fazendo o gol do triunfo. Quando a torcida já tinha me cobrado. Graças a Deus, pude fazer nesse jogo – afirmou.

Pesa a favor de Élber a capacidade de atacar e defender com muita intensidade, fechando bem os espaços na defesa, pela lateral do campo. Mas essa não é uma função desconhecida de Arthur Caíke, que já atuou assim na Chapecoense. Adaptado à rotina de treinos brasileiros após um período na Arábia, ele garante que está apto a fazer a função.

– Na Chapecoense, eu joguei muito assim, sempre nesse bate e volta, ajudando defensivamente… Quando cheguei da Arábia, foi onde… Até pelo fato de meus treinamentos lá não serem tão intensos quanto aqui, hoje eu me sinto muito bem fisicamente, pelo trabalho também dos profissionais que tem aqui. Para mim, hoje eu estou bem tranquilo em fazer essa função de beirada. Mas onde ele optar por me colocar, sempre vou estar à disposição dele para fazer o melhor – afirmou o atacante.

A partida contra o Vasco é fora de casa, no estádio São Januário, às 11h (horário de Brasília).

Fonte: Globo Esporte

Foto: Divulgação/EC Bahia