Defesa de Marin acusa Del Nero de comandar esquema de corrupção na CBF

Uma informação caiu como uma bomba na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nesta segunda-feira (13). No primeiro pronunciamento nos EUA sobre o ‘caso Fifa’ (leia mais aqui), a defesa do ex-presidente da entidade, José Maria Marin, acusou o atual mandatário Marco Polo Del Nero de comandar o futebol brasileiro durante sua gestão, bem como as decisões sobre os rumos da entidade. Marin esteve à frente da CBF entre 2012 e março de 2015 e foi banido de qualquer atividade ligada ao futeol por suas ligações nos esquemas irregulares de compras de direitos de transmissão de partidas de futebol. As informações são do site Globoesporte.com. As afirmações foram feitas pelo advogado americano, Charles Stillman, líder da defesa do ex-cartola, durante o discurso à frente dos 18 jurados.  “Vocês já viram crianças jogando futebol? Lá estão um bando de crianças tentando fazer gols e tentando se defender. Mas sempre tem algumas que não fazem realmente parte daquilo, que estavam fora, e só foram chamadas para completar o jogo. Quero que vocês lembrem disso”, narrou. Segundo o dirigente, Marin assumiu um ‘mandato-tampão’ após a saída de Ricardo Teixeira, em março de 2012. Ele era o vice-presidente mais velho da CBF e, por isso, assumiu o trono da entidade máxima do futebol nacional. “Marin sempre foi visto como um interino. Todos esperavam que Marco Polo Del Nero fosse o presidente após a saída de Ricardo Teixeira, mas ele ainda não pôde assumir em 2012. Então, embora Marin tivesse o papel de presidente, ele não estava no Comitê Executivo da Fifa, nem no Comitê Executivo da Conmebol. Essas posições eram ocupadas por Del Nero”, declarou. A defesa de Del Nero argumentou à época das acusações ele e Marin que os contratos irregulares nunca foram assinados pelo atual presidente da CBF. A defesa do ex-dirigente preso insistiu no fato de que o atual dirigente sempre comandou as ações.  “Eu não estou aqui para dizer que não há corrupção no futebol mundial. Mas não é o futebol mundial que está sendo julgado aqui. É José Maria Marin. E ele é inocente. Vocês vão ouvir aqui várias pessoas com problemas de conduta. Pessoas que secretamente gravaram conversas para tentar uma pena mais leve”, insistiu. Assim como Marin e Del Nero, Teixeira é investigado no esquema.

Foto: Divulgação / CBF

Conteúdo:Bn