De destaque a reserva, Neilton passa 2018 a limpo e deixar em aberto chance de ficar no Vitória

Os 180 minutos no banco de reservas nos dois últimos jogos do Vitória em 2019, contra Palmeiras e Grêmio, simbolizam o final de temporada para o atacante Neilton. Sem o prestígio de pouco tempo atrás, o camisa 10 havia perdido espaço e o protagonismo no time. Algo surpreendente para o que foi o início de ano do jogador. No primeiro semestre, Neilton era titular absoluto e principal destaque do Vitória. Com números expressivos, ele cumpriu o papel não só de artilheiro, mas líder em assistências, chegando a participar diretamente de 39% dos gols marcados pelo time até o mês de junho.

Mas a situação de Neilton mudou completamente na segunda parte da temporada. Apesar de ser manter como goleador e maior garçom do Vitória em 2019 (terminou o ano com 21 gols e nove assistências), o atacante não conseguiu repetir as boas atuações, perdeu a posição, chegou a ser vaiado pela torcida e terminou a temporada em baixa. Se for comparar, até o dia 6 de junho ele tinha 18 gols marcados em 33 jogos, uma média de 0,5 por partida. A partir daí, disputou mais 23 jogos (alguns vindo do banco de reservas) e balançou as redes apenas três vezes, média de 0,13.