Atlântico: Após bater favorito na estreia, presidente quer ser surpresa na Copinha

O presidente do Atlântico, Zé Carlos, disse que já esperava um bom resultado na estreia do time sub-20 na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Os garotos do Tubarão não só tiveram um bom desempenho como venceram o América-MG, que é o maior favorito do Grupo 10. Em entrevista ao Bahia Notícias, o dirigente revelou que o time não pretende ser mais um mero participante da competição.

“O time está bem treinado. Estamos preparados para alcançar grandes voos, classificar e continuar seguindo adiante”, declarou.

Segundo Zé Carlos, o time se preparou para a Copinha de olho numa das vagas na próxima fase, principalmente para a estreia diante do Coelho. O Tubarão projetou arrancar um bom resultado na largada para poder sonhar com o seu primeiro objetivo. Com o triunfo, a equipe lidera o Grupo 10 com três pontos ao lado do São Carlos, que também venceu, mas sofreu um gol. Apenas os dois primeiros avançam de fase.

“A gente esperava exatamente esse resultado e visando a classificação. Então, a gente focou bastante nessa possibilidade, jogamos com uma marcação muito forte. O time deles [América-MG] é muito forte também, eles são os mais fortes da chave, e a gente sabia dessa possibilidade, até o empate já seria um excelente resultado. Mas deu tudo certinho e nós conseguimos a vitória”, falou. 

O Atlântico começou o trabalho visando a disputa da Copinha cinco meses atrás. O clube aproveitou os jogadores que fizeram boa campanha no Campeonato Baiano Sub-20, em que foram eliminados na semifinal para o Vitória. A partir de agosto, o Tubarão deu início à montagem do elenco e preparação.

“Nós perdemos a semifinal do Baiano para o Vitória, então ficou a base desse time para a Copinha. Só que alguns jogadores tinham estourado a idade para a competição. Então, começamos a captar novos jogadores, fazer testes de agosto para cá montando a equipe. Inclusive, a inscrição da Copa São Paulo vai até o dia 28 de setembro. E conseguimos montar essa equipe que está aí. Do time remanescente, ficaram 14 jogadores que disputaram o Campeonato Baiano”, explicou.

É sabido que a estrutura pode ser um diferencial. No entanto, Zé Carlos destacou que o talento e o trabalho também podem minimizar problemas relacionados a essa questão. Segundo ele, as instalações que a meninada do América-MG dispõe são infinitamente melhores do que os garotos do time baiano.

“Às vezes a gente aqui toma um susto quanto à estrutura. Por exemplo, a estrutura de um time do América-MG em relação à nossa é totalmente diferente, a composição física dos jogadores também é de uma disparidade muito grande. Só que vem o talento, o treinamento e essas coisas fazem diferença. Muitos times não acreditam nisso, preferem jogadores muito altos”, afirmou.

Atlântico ignorou o favoritismo do América-MG | Foto: Miltinho Marchetti / América-MG

Ele ainda exaltou o meia-atacante Ítalo, do Atlântico. O jogador marcou o segundo gol da equipe no triunfo por 2 a 0 sobre o Coelho. “Nosso camisa 10 mesmo, Ítalo, é um meia-atacante muito bom, muito veloz, muito inteligente. Apesar dele ter uma estatura menor, usa a capacidade e inteligência exatamente por saber das limitações que tem. O zagueiro vem grandão, mas pela velocidade e inteligência de mudar o jogo na mesma hora. Ele é aquele jogador diferenciado. Um jogador forte e grandão tem que ter inteligência também. Se ele fosse uns 20 centímetros mais alto, com certeza não estaria mais no Atlântico, porque ainda tem esse preconceito”, completou.

Apesar dos elogios ao camisa 10, o cartola também destacou outros pontos fortes do time. “Temos outros jogadores muito bons. A defesa é muito boa, com Paulo Victor, os volantes também… São jogadores que já vinham treinando desde agosto”, finalizou.

O Atlântico volta ao gramado neste sábado (5), às 7h45, para encarar o São Carlos, com que divide a liderança da chave. A partida acontece no estádio Luiz Augusto de Oliveira, na Região Metropolitana de São Paulo.